Criar Quiz
Criar Quiz
Publicidade
As Feiticeiras (6/12) 🔮

As Feiticeiras (6/12) 🔮

Tags : Feiticeiras As Feiticeiras Bruxas Fantasia magia Quiz RPG

↪ Essa é a parte 6; para entender melhor, sugiro que faça as anteriores
↪ Quiz estilo RPG
↪ Terão 12 partes
↪ Novas partes toda terça e quinta!
↪ Todas as imagens foram retiradas do Pinterest, nenhuma me pertence!
↪ Confira meu perfil para mais RPGs!
↪ PLÁGIO É CRIME

Iniciar o Quiz
Incorporar
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17

No dia seguinte, as gêmeas se encontraram na escola e tudo correu bem. Seria necessário mais do que uma discussão familiar para abalar a relação entre as mesmas.
Nataly e Chris as receberam de braços abertos, como se nada tivesse acontecido. Já os irmãos Burn praticamente as ignoraram durante todo o dia, ainda irritados pela confusão da noite anterior e as mentiras.
- ... é claro! - a agora revelada princesa das trevas riu, caminhando com a irmã até a saída da escola. - Nos vemos a noite.
- Até mais tarde. - Mia deu um sorriso fraco.
Lunna abraçou a irmã rapidamente, logo se dirigindo a uma sombra entre as árvores. Lá, um dos cavalos das trevas lhe esperava.
A mais nova observou a irmã cavalgar até perdê-la de vista, soltando um suspiro. Ela não gostava da distância física entre as duas. Queria que as coisas fossem diferentes.
Balançando a cabeça para afastar os pensamentos, foi até a carruagem de gelo, que já a esperava.

~ Mais tarde...
Lunna abriu seu closet, pensativa. Eram tantas opções! Mas dessa vez, todas a agradavam.
- Escolhe logo! - Moon revirou os olhos. - Eu não tenho o dia todo.
- Você nem vai participar! Pare de se meter. - retrucou a princesa.
- Nem me lembre. - resmungou. Desta vez, o gato não poderia ouvir a conversa, já que Lunna não o levaria até o palácio de gelo.
Após alguns instantes, a garota se decidiu.

Qual o vestido escolhido por ela para a reunião daquela noite, onde enfim poderia revelar seus poderes? No dia seguinte, as gêmeas se encontraram na escola e tudo correu bem. Seria necessário mais do que uma discussão familiar para abalar a relação entre as mesmas.
Nataly e Chris as receberam de braços abertos, como se nada tivesse acontecido. Já os irmãos Burn praticamente as ignoraram durante todo o dia, ainda irritados pela confusão da noite anterior e as mentiras.
- ... é claro! - a agora revelada princesa das trevas riu, caminhando com a irmã até a saída da escola. - Nos vemos a noite.
- Até mais tarde. - Mia deu um sorriso fraco.
Lunna abraçou a irmã rapidamente, logo se dirigindo a uma sombra entre as árvores. Lá, um dos cavalos das trevas lhe esperava.
A mais nova observou a irmã cavalgar até perdê-la de vista, soltando um suspiro. Ela não gostava da distância física entre as duas. Queria que as coisas fossem diferentes.
Balançando a cabeça para afastar os pensamentos, foi até a carruagem de gelo, que já a esperava.

~ Mais tarde...
Lunna abriu seu closet, pensativa. Eram tantas opções! Mas dessa vez, todas a agradavam.
- Escolhe logo! - Moon revirou os olhos. - Eu não tenho o dia todo.
- Você nem vai participar! Pare de se meter. - retrucou a princesa.
- Nem me lembre. - resmungou. Desta vez, o gato não poderia ouvir a conversa, já que Lunna não o levaria até o palácio de gelo.
Após alguns instantes, a garota se decidiu.

Qual o vestido escolhido por ela para a reunião daquela noite, onde enfim poderia revelar seus poderes?

  • O vestido totalmente negro era justo, com mangas caídas e sofisticadas. Uma abertura na lateral mostrava uma das pernas de Lunna.
    O vestido totalmente negro era justo, com mangas caídas e sofisticadas. Uma abertura na lateral mostrava uma das pernas de Lunna.
  • Toda a peça era leve e confortável, com brilhos que lembravam o céu estrelado. As alças eram finas e um pequeno decote dava um charme ao vestido. Uma fenda lateral destacava as pernas da princesa.
    Toda a peça era leve e confortável, com brilhos que lembravam o céu estrelado. As alças eram finas e um pequeno decote dava um charme ao vestido. Uma fenda lateral destacava as pernas da princesa.
  • O vestidode veludo era extremamente elegante, dando a garota uma postura de poder. Uma fenda lateral deixava uma das pernas a mostra, a cintura justa destacava seu corpo e a gola alta, somada com a falta de mangas, dava um toque especial ao vestido.
    O vestidode veludo era extremamente elegante, dando a garota uma postura de poder. Uma fenda lateral deixava uma das pernas a mostra, a cintura justa destacava seu corpo e a gola alta, somada com a falta de mangas, dava um toque especial ao vestido.
  • Desta vez preparada para o frio, Lunna optou por um vestido de mangas longas de renda. O busto era decorado com a mesma renda e a saia, solta e esvoaçante, com uma abertura frontal que revelava suas pernas.
    Desta vez preparada para o frio, Lunna optou por um vestido de mangas longas de renda. O busto era decorado com a mesma renda e a saia, solta e esvoaçante, com uma abertura frontal que revelava suas pernas.

A princesa das trevas completou com uma maquiagem leve e saltos pretos. Assim que terminou de se arrumar, batidas na porta foram ouvidas.
- Só um minuto! - respondeu, imaginando que era Sasha ou seu pai, lhe apressando.
Ela se despediu de Moon rapidamente e abriu a porta... Se deparando com um garoto que nunca havia visto antes. Logo, concluiu que era um mordomo, visto que o mesmo acontecera no castelo de gelo.
- Então você é a famosa princesa Lunna. - cumprimentou, a encarando de cima a baixo. - Ouvi muito falar sobre você. A gêmea mais velha, única que nasceu com o elemento das trevas. A princesa das trevas completou com uma maquiagem leve e saltos pretos. Assim que terminou de se arrumar, batidas na porta foram ouvidas.
- Só um minuto! - respondeu, imaginando que era Sasha ou seu pai, lhe apressando.
Ela se despediu de Moon rapidamente e abriu a porta... Se deparando com um garoto que nunca havia visto antes. Logo, concluiu que era um mordomo, visto que o mesmo acontecera no castelo de gelo.
- Então você é a famosa princesa Lunna. - cumprimentou, a encarando de cima a baixo. - Ouvi muito falar sobre você. A gêmea mais velha, única que nasceu com o elemento das trevas.

  • - E quem seria você? - questionou no mesmo tom, erguendo uma sobrancelha.
  • - Ouviu? - ela riu. - Me disseram que os boatos correm rápido por aqui.
  • - Quem pensa que é pra falar comigo desse jeito? - esbraveja perplexa.

- Tyler Dark, ao seu dispor, princesa. - ele fez uma reverência irônica. - Guarda real... E nomeado pela sua tia para ser o seu guarda particular. - Tyler Dark, ao seu dispor, princesa. - ele fez uma reverência irônica. - Guarda real... E nomeado pela sua tia para ser o seu guarda particular.

  • - Guarda particular? - pergunta a garota, com uma careta. - Eu não preciso disso, mas já que está aqui...
  • - Isso mesmo: princesa. - rebateu, dando destaque ao termo "princesa". - Tenha mais respeito.
  • - Obrigada, eu acho. - Lunna riu.

Ele a acompanhou pelos corredores do castelo até o estábulo, onde Dylan e Sasha os esperavam.
Durante o caminho, ambos... Ele a acompanhou pelos corredores do castelo até o estábulo, onde Dylan e Sasha os esperavam.
Durante o caminho, ambos...

  • Conversaram um pouco. Tyler era debochado, mas divertido, e a princesa viu nele um amigo em potencial.
  • Caminharam calados. Lunna não gostou de seu comentário e ele tentou puxar assunto no começo, mas ao ver que ela estava irritada, desistiu, bufando.

- Lunna! - exclamou sua tia, levando as mãos a boca assim que a garota se aproximou. - Você está... deslumbrante!
- Está mesmo, querida. - o rei concordou, sorrindo orgulhoso.
- Obrigada. - agradeceu, constrangida.
- Vejo que já conheceu o Tyler. - indicou Sasha. - É um dos nossos melhores guardas. Não que haja algum perigo por aqui, mas achamos que seria bom um pouco mais de segurança. Não queremos te perder de novo. - ela sorriu, amorosa.
- Majestades. Alteza. Obrigada pela confiança. - com uma leve reverência, ele logo se foi.
- Muito bem, não temos muito tempo. Já estamos atrasados. - apressou Dylan, subindo em um dos cavalos. - Até mais tarde, Sasha.
- Tchau tchau! Se cuidem e não acreditem em qualquer mentira da Mallory. - aconselhou, com uma careta. Lunna riu.
- Nos vemos depois, tia. - ela subiu em outro cavalo e, com um aceno de cabeça do pai, ambos partiram, galopando pela escuridão. - Lunna! - exclamou sua tia, levando as mãos a boca assim que a garota se aproximou. - Você está... deslumbrante!
- Está mesmo, querida. - o rei concordou, sorrindo orgulhoso.
- Obrigada. - agradeceu, constrangida.
- Vejo que já conheceu o Tyler. - indicou Sasha. - É um dos nossos melhores guardas. Não que haja algum perigo por aqui, mas achamos que seria bom um pouco mais de segurança. Não queremos te perder de novo. - ela sorriu, amorosa.
- Majestades. Alteza. Obrigada pela confiança. - com uma leve reverência, ele logo se foi.
- Muito bem, não temos muito tempo. Já estamos atrasados. - apressou Dylan, subindo em um dos cavalos. - Até mais tarde, Sasha.
- Tchau tchau! Se cuidem e não acreditem em qualquer mentira da Mallory. - aconselhou, com uma careta. Lunna riu.
- Nos vemos depois, tia. - ela subiu em outro cavalo e, com um aceno de cabeça do pai, ambos partiram, galopando pela escuridão.

  • .
  • .

Eles não levaram mais que alguns minutos para chegarem ao castelo. Assim que desceram dos cavalos, Mia, que esperava na entrada, correu para recebê-los.
- Nem parece que me viu hoje de manhã. - Lunna revirou os olhos, rindo, ao abraçar a irmã.
Mia também riu, abraçando rapidamente o pai, meio sem jeito.
- Está linda, filha. - elogiou Dylan.
- Obrigada. - respondeu, corando. - Vamos logo. Os outros reis estão quase matando a mamãe!
Lunna fez uma careta, causando risadas novamente. Sem perder tempo, os três caminharam apressados pelos corredores do palácio. Eles não levaram mais que alguns minutos para chegarem ao castelo. Assim que desceram dos cavalos, Mia, que esperava na entrada, correu para recebê-los.
- Nem parece que me viu hoje de manhã. - Lunna revirou os olhos, rindo, ao abraçar a irmã.
Mia também riu, abraçando rapidamente o pai, meio sem jeito.
- Está linda, filha. - elogiou Dylan.
- Obrigada. - respondeu, corando. - Vamos logo. Os outros reis estão quase matando a mamãe!
Lunna fez uma careta, causando risadas novamente. Sem perder tempo, os três caminharam apressados pelos corredores do palácio.

  • .
  • .

Ao abrirem as portas do salão, todos os olhares se voltaram para os mesmos.
- Ora, finalmente os feiticeiros negros resolveram aparecer. - debochou a rainha do fogo, de cara fechada. Seus filhos compartilhavam a expressão.
Lunna revirou os olhos, o que, por sorte, passou despercebido pela mais velha. Assim que ela, Mia e seu pai se acomodaram, Mallory tomou a palavra.
Com a ajuda de Dylan, ela contou a história novamente, enfatizando o fato de que ambos eram "jovens e irresponsáveis" na época. Quando chegaram na parte que envolvia Sasha, contudo, começaram a discutir.
- Eu já disse que minha irmã nunca faria uma coisa dessas! - insistiu o rei, impaciente. - Eu a conheço a anos, Mallory.
- Nem sempre as pessoas são o que aparentam ser. - retrucou, ácida.
- Já chega. - ordenou o rei da terra. Os outros dois se calaram, pondo fim a discussão. - Não interessa quem ameaçou quem. O ponto é que a lei foi quebrada e vocês ainda esconderam as crianças.
- Se eu ao menos soubesse que estavam vivas, não as teria escondido. - resmungou Dylan.
- Eu não duvido que aquela rainha das trevas tenha intimidado Mallory. - opinou a rainha do ar, preconceituosa. - São todos iguais e malignos.
- Não fale assim da minha irmã. - Dylan usou um tom ameaçador.
- Muito bem. Não adianta discutir o passado. - a rainha da água se pronunciou pela primeira vez. - Temos que pensar no presente e no futuro. Mia e Lunna estão aqui, certo? O que faremos com elas?
A princesa das trevas franziu a testa, incomodada. Ela não era um objeto! Já tinha idade suficiente para entender o que estava acontecendo. Se o assunto principal era ela e sua irmã, elas deveriam poder opinar, certo?
Errado. Tanto ela quanto os demais príncipes e princesas haviam sido orientados a não falar. Eles não tinham aquele direito.
- Matá-las definitivamente não é uma opção. - Mallory anunciou, feroz.
- Eu concordo. - Angeline apoiou. - Nenhuma delas nasceu com dois elementos. Entendo que isso possa ser um problema, mas até hoje, nunca aconteceu! Estamos falando de duas vidas, duas pessoas, ambas herdeiras do trono. Não é certo matá-las apenas por terem pais de elementos diferentes.
As gêmeas se entreolharam, sorrindo. "VAI, TIA ANGEL! FALE POR NÓS!"
- Bom - o rei da água suspirou. - Seus argumentos são válidos. Eu acho que uma punição deveria ser aplicada pelo descumprimento da lei, mas não as meninas. Elas não tem culpa.
Os demais concordaram.
- E qual seria a nossa... punição? - questionou Dylan.
- Cadeia, se me permitem sugerir. - o rei da terra falou. - Como reis, vocês tem obrigações, então prisão domiciliar seria o mais adequado.
- Uma semana? - opinou a rainha da água.
- É o suficiente. - todos concordaram.
- Obrigada. - Mallory suspirou. - Peço mais uma vez perdão por toda essa confusão. A reunião está encerrada.
Todos se levantaram, um murmúrio se instalando pelo salão. Alguns dos reis foram conversar entre si, assim como seus filhos.
Alexia e Michael se aproximaram das gêmeas, juntamente com Chris e Nataly.
- Acho que devemos desculpas a vocês. - Alexia parecia arrependida. - As julgamos sem saber da verdade.
- Nós também não sabíamos. - lembrou Mia, amigavelmente. - Mas não se preocupe com isso. Está tudo bem.
- Então você é, tipo, das trevas? - questionou Naty, curiosa. - Eu nunca tive muita interação com feiticeiros desse elemento. Meus pais são, sabe...
- Eu, sinceramente, acho todo esse preconceito com as trevas bem idiota. - declarou Michael. Ao abrirem as portas do salão, todos os olhares se voltaram para os mesmos.
- Ora, finalmente os feiticeiros negros resolveram aparecer. - debochou a rainha do fogo, de cara fechada. Seus filhos compartilhavam a expressão.
Lunna revirou os olhos, o que, por sorte, passou despercebido pela mais velha. Assim que ela, Mia e seu pai se acomodaram, Mallory tomou a palavra.
Com a ajuda de Dylan, ela contou a história novamente, enfatizando o fato de que ambos eram "jovens e irresponsáveis" na época. Quando chegaram na parte que envolvia Sasha, contudo, começaram a discutir.
- Eu já disse que minha irmã nunca faria uma coisa dessas! - insistiu o rei, impaciente. - Eu a conheço a anos, Mallory.
- Nem sempre as pessoas são o que aparentam ser. - retrucou, ácida.
- Já chega. - ordenou o rei da terra. Os outros dois se calaram, pondo fim a discussão. - Não interessa quem ameaçou quem. O ponto é que a lei foi quebrada e vocês ainda esconderam as crianças.
- Se eu ao menos soubesse que estavam vivas, não as teria escondido. - resmungou Dylan.
- Eu não duvido que aquela rainha das trevas tenha intimidado Mallory. - opinou a rainha do ar, preconceituosa. - São todos iguais e malignos.
- Não fale assim da minha irmã. - Dylan usou um tom ameaçador.
- Muito bem. Não adianta discutir o passado. - a rainha da água se pronunciou pela primeira vez. - Temos que pensar no presente e no futuro. Mia e Lunna estão aqui, certo? O que faremos com elas?
A princesa das trevas franziu a testa, incomodada. Ela não era um objeto! Já tinha idade suficiente para entender o que estava acontecendo. Se o assunto principal era ela e sua irmã, elas deveriam poder opinar, certo?
Errado. Tanto ela quanto os demais príncipes e princesas haviam sido orientados a não falar. Eles não tinham aquele direito.
- Matá-las definitivamente não é uma opção. - Mallory anunciou, feroz.
- Eu concordo. - Angeline apoiou. - Nenhuma delas nasceu com dois elementos. Entendo que isso possa ser um problema, mas até hoje, nunca aconteceu! Estamos falando de duas vidas, duas pessoas, ambas herdeiras do trono. Não é certo matá-las apenas por terem pais de elementos diferentes.
As gêmeas se entreolharam, sorrindo. "VAI, TIA ANGEL! FALE POR NÓS!"
- Bom - o rei da água suspirou. - Seus argumentos são válidos. Eu acho que uma punição deveria ser aplicada pelo descumprimento da lei, mas não as meninas. Elas não tem culpa.
Os demais concordaram.
- E qual seria a nossa... punição? - questionou Dylan.
- Cadeia, se me permitem sugerir. - o rei da terra falou. - Como reis, vocês tem obrigações, então prisão domiciliar seria o mais adequado.
- Uma semana? - opinou a rainha da água.
- É o suficiente. - todos concordaram.
- Obrigada. - Mallory suspirou. - Peço mais uma vez perdão por toda essa confusão. A reunião está encerrada.
Todos se levantaram, um murmúrio se instalando pelo salão. Alguns dos reis foram conversar entre si, assim como seus filhos.
Alexia e Michael se aproximaram das gêmeas, juntamente com Chris e Nataly.
- Acho que devemos desculpas a vocês. - Alexia parecia arrependida. - As julgamos sem saber da verdade.
- Nós também não sabíamos. - lembrou Mia, amigavelmente. - Mas não se preocupe com isso. Está tudo bem.
- Então você é, tipo, das trevas? - questionou Naty, curiosa. - Eu nunca tive muita interação com feiticeiros desse elemento. Meus pais são, sabe...
- Eu, sinceramente, acho todo esse preconceito com as trevas bem idiota. - declarou Michael.

  • - Obrigada, eu acho. - Lunna sorriu. Ele retribuiu, simpático.
  • - Fico feliz em saber que essa é a nova geração. - comentou a princesa das sombras, sorrindo para o garoto. Ele riu, trocando um olhar com a mesma.

Alguns minutos se passaram. Por mais que a reunião tivesse acabado, os reis permaneceram ali, conversando e se divertindo como amigos. Mallory pediu que trouxessem alguns petiscos e assim foi feito. Apenas Dylan estava meio deslocado.
- Vou pegar um suco. - declarou Mia, caminhando em direção a uma das mesas. Ela sorriu sozinha, contente pela irmã estar ali e pelos amigos terem voltado a falar com ela.
Ao lado da mesa, Adrien Sky mexia em seu celular, aparentemente distraído. Mas, assim que Mia se aproximou, ele desligou o aparelho, se aproximando por trás da garota.
- Olá, Alteza. - sussurrou repentinamente, a assustando.
- A-Adrien? - perguntou, confusa. - O que está fazendo?
- Você até que é bonitinha. - ele segurou o queixo da menor. - Sua irmã é mais, mas, você sabe, ela é das trevas. - ele pronunciou o elemento de Lunna com nojo.
- Não fale assim dela... - disse, franzindo a testa. A princesa do gelo estava achando o comportamento do loiro muito estranho, e tinha a impressão de que algo não estava certo.
- Tanto faz. - ele deu de ombros, soltando seu queixo e segurando seu pulso. - Vamos.
- O-o que? - protestou enquanto ele praticamente a arrastava, discretamente, para fora do salão. A mesa onde estavam era próxima de uma porta. - Aonde estamos...?
- Sem perguntas. - ordenou em um tom rude.
Ela tentou se desvencilhar, mas ele continuou a arrastá-la até um vão escuro entre a parede e um armário de vassouras. A empurrou bruscamente, assustando-a.
- Me largue! Alguém! Socor... - ele tampou sua boca com força, se apertando no pequeno espaço junto com ela.
Em seus olhos, ela viu a malícia, o que apenas aumentou seu desespero.
- Shhh, quietinha... - ele aproximou seu rosto do dela. Por mais que se debatesse, o príncipe do ar era mais forte.
Para a surpresa de Mia, sentiu a pressão sob seu corpo desaparecer. Ao abrir os olhos, fechados pelo desespero, percebeu que alguém havia retirado Adrien de cima dela a força, e agora parecia socar o rosto do príncipe do ar.
Ela reconheceu Christian, mas estava apavorada demais para esboçar qualquer reação. Tremia da cabeça aos pés.
O príncipe da terra continuou a socar o rosto de Adrien, prendendo-o contra o chão. Alguns instantes depois, parou, se afastando ofegante.
- Nunca mais se aproxime dela, nem de nenhuma outra garota. - ameaçou, em um tom perigoso. - Nunca mais, entendeu?!
O príncipe do ar se levantou furioso, com o nariz sangrando, e tentou avançar em Chris. O moreno, porém, era mais forte - empurrou o loiro para o chão novamente. Bufando, Adrien se afastou, cambaleando.
Christian se voltou para Mia, preocupado.
- Você está bem? Ele te machucou? - perguntou, se aproximando cuidadoso.
Mia tentou falar, mas nenhum som saiu de sua boca. Ele se aproximou, abraçando-a em uma tentativa de acalmar a moça.
- Foi o que houve com Alexia. - explicou. - Mas ninguém chegou a tempo para ela.
A princesa só percebeu que as lágrimas escorriam naquele momento. Cobriu a boca com a mão, abafando um soluço.
- Ei, ei... Tá tudo bem. - Christian a reconfortou, ajudando Mia a se sentar em um dos bancos de gelo que haviam pelos corredores. - Está tudo bem.
Demorou mais um tempo até que ela se acalmasse.
- Obrigada. - foi a primeira coisa que disse, a voz embargada devido ao choro.
- Não me agradeça. - ele sorriu triste, ainda preocupado. - Quer voltar?
- Não. - murmurou, desviando o olhar.
- Onde fica seu quarto? - ele se levantou, olhando ao redor. - Eu posso chamar Lunna, se quiser...
- Por favor. - ela ergueu a cabeça, aflita. - Por favor, chame a Lunna.
- Não posso te deixar sozinha... - resmungou, olhando ao redor. - Vamos, eu te levo até o seu quarto. Depois vou chamá-la o mais rápido que puder, prometo.
Ela assentiu, desnorteada. Com a ajuda dele, não demorou muito tempo até que chegasse ao cômodo, onde Snow imediatamente notou que algo estava errado.
- Mia? - chamou assim que a porta se abriu, encarando preocupado o rosto vermelho da princesa.
Chris se surpreendeu com o animal falante, mas tentou não demonstrar.
- Eu trago a Lunna o mais rápido que puder. - repetiu, se virando para Mia.
Surpreendentemente, ela o abraçou.
- Obrigada. - agradeceu novamente. - Eu não sei o que... Não quero nem pensar... No que poderia ter acontecido se não estivesse lá.
- Não fiz mais do que a minha obrigação. - respondeu, retribuindo o abraço.
Ele sorriu para ela antes de sair. Assim que o perdeu de vista, Mia trancou sua porta.
- O que foi que...? Quem era aquele? - perguntou Snowflake, confuso.
Mas ela apenas chorou. Alguns minutos se passaram. Por mais que a reunião tivesse acabado, os reis permaneceram ali, conversando e se divertindo como amigos. Mallory pediu que trouxessem alguns petiscos e assim foi feito. Apenas Dylan estava meio deslocado.
- Vou pegar um suco. - declarou Mia, caminhando em direção a uma das mesas. Ela sorriu sozinha, contente pela irmã estar ali e pelos amigos terem voltado a falar com ela.
Ao lado da mesa, Adrien Sky mexia em seu celular, aparentemente distraído. Mas, assim que Mia se aproximou, ele desligou o aparelho, se aproximando por trás da garota.
- Olá, Alteza. - sussurrou repentinamente, a assustando.
- A-Adrien? - perguntou, confusa. - O que está fazendo?
- Você até que é bonitinha. - ele segurou o queixo da menor. - Sua irmã é mais, mas, você sabe, ela é das trevas. - ele pronunciou o elemento de Lunna com nojo.
- Não fale assim dela... - disse, franzindo a testa. A princesa do gelo estava achando o comportamento do loiro muito estranho, e tinha a impressão de que algo não estava certo.
- Tanto faz. - ele deu de ombros, soltando seu queixo e segurando seu pulso. - Vamos.
- O-o que? - protestou enquanto ele praticamente a arrastava, discretamente, para fora do salão. A mesa onde estavam era próxima de uma porta. - Aonde estamos...?
- Sem perguntas. - ordenou em um tom rude.
Ela tentou se desvencilhar, mas ele continuou a arrastá-la até um vão escuro entre a parede e um armário de vassouras. A empurrou bruscamente, assustando-a.
- Me largue! Alguém! Socor... - ele tampou sua boca com força, se apertando no pequeno espaço junto com ela.
Em seus olhos, ela viu a malícia, o que apenas aumentou seu desespero.
- Shhh, quietinha... - ele aproximou seu rosto do dela. Por mais que se debatesse, o príncipe do ar era mais forte.
Para a surpresa de Mia, sentiu a pressão sob seu corpo desaparecer. Ao abrir os olhos, fechados pelo desespero, percebeu que alguém havia retirado Adrien de cima dela a força, e agora parecia socar o rosto do príncipe do ar.
Ela reconheceu Christian, mas estava apavorada demais para esboçar qualquer reação. Tremia da cabeça aos pés.
O príncipe da terra continuou a socar o rosto de Adrien, prendendo-o contra o chão. Alguns instantes depois, parou, se afastando ofegante.
- Nunca mais se aproxime dela, nem de nenhuma outra garota. - ameaçou, em um tom perigoso. - Nunca mais, entendeu?!
O príncipe do ar se levantou furioso, com o nariz sangrando, e tentou avançar em Chris. O moreno, porém, era mais forte - empurrou o loiro para o chão novamente. Bufando, Adrien se afastou, cambaleando.
Christian se voltou para Mia, preocupado.
- Você está bem? Ele te machucou? - perguntou, se aproximando cuidadoso.
Mia tentou falar, mas nenhum som saiu de sua boca. Ele se aproximou, abraçando-a em uma tentativa de acalmar a moça.
- Foi o que houve com Alexia. - explicou. - Mas ninguém chegou a tempo para ela.
A princesa só percebeu que as lágrimas escorriam naquele momento. Cobriu a boca com a mão, abafando um soluço.
- Ei, ei... Tá tudo bem. - Christian a reconfortou, ajudando Mia a se sentar em um dos bancos de gelo que haviam pelos corredores. - Está tudo bem.
Demorou mais um tempo até que ela se acalmasse.
- Obrigada. - foi a primeira coisa que disse, a voz embargada devido ao choro.
- Não me agradeça. - ele sorriu triste, ainda preocupado. - Quer voltar?
- Não. - murmurou, desviando o olhar.
- Onde fica seu quarto? - ele se levantou, olhando ao redor. - Eu posso chamar Lunna, se quiser...
- Por favor. - ela ergueu a cabeça, aflita. - Por favor, chame a Lunna.
- Não posso te deixar sozinha... - resmungou, olhando ao redor. - Vamos, eu te levo até o seu quarto. Depois vou chamá-la o mais rápido que puder, prometo.
Ela assentiu, desnorteada. Com a ajuda dele, não demorou muito tempo até que chegasse ao cômodo, onde Snow imediatamente notou que algo estava errado.
- Mia? - chamou assim que a porta se abriu, encarando preocupado o rosto vermelho da princesa.
Chris se surpreendeu com o animal falante, mas tentou não demonstrar.
- Eu trago a Lunna o mais rápido que puder. - repetiu, se virando para Mia.
Surpreendentemente, ela o abraçou.
- Obrigada. - agradeceu novamente. - Eu não sei o que... Não quero nem pensar... No que poderia ter acontecido se não estivesse lá.
- Não fiz mais do que a minha obrigação. - respondeu, retribuindo o abraço.
Ele sorriu para ela antes de sair. Assim que o perdeu de vista, Mia trancou sua porta.
- O que foi que...? Quem era aquele? - perguntou Snowflake, confuso.
Mas ela apenas chorou.

  • .
  • .

Lunna dormiu no castelo de gelo naquela noite.
Quando aconteceu com Alexia, a garota não queria que contassem. Não queria que ninguém soubesse.
Mas Christian e Lunna, quando soube, não ficaram calados. Todos os reis souberam, sem exceção. "Furiosos" é pouco para descrever a reação dos pais de Adrien.
Após a revelação, todos foram embora, obviamente. Angel e Mallory deixaram o preconceito de lado e permitiram que Dylan também ficasse, afinal, era o pai de Mia e tinha tanto direito quando Mallory.
Por mais revoltados que estivessem, os reis lembraram que violência gera violência. Angeline, Dylan, Michael, Mallory e os outros conseguiram se controlar.
Mas Lunna conseguiu usar seus poderes contra um certo alguém antes de todos irem embora. Lunna dormiu no castelo de gelo naquela noite.
Quando aconteceu com Alexia, a garota não queria que contassem. Não queria que ninguém soubesse.
Mas Christian e Lunna, quando soube, não ficaram calados. Todos os reis souberam, sem exceção. "Furiosos" é pouco para descrever a reação dos pais de Adrien.
Após a revelação, todos foram embora, obviamente. Angel e Mallory deixaram o preconceito de lado e permitiram que Dylan também ficasse, afinal, era o pai de Mia e tinha tanto direito quando Mallory.
Por mais revoltados que estivessem, os reis lembraram que violência gera violência. Angeline, Dylan, Michael, Mallory e os outros conseguiram se controlar.
Mas Lunna conseguiu usar seus poderes contra um certo alguém antes de todos irem embora.

  • .
  • .

NOTA DA AUTORA:
Eu não costumo interromper o RPG dessa maneira, mas dessa vez é necessário. Eu não gostaria de inserir uma cena como essa, mas foi necessário.
Coisas como essa acontecem diariamente, com mulheres do mundo todo (com homens também, mas a quantidade de casos com mulheres é muito maior). É completamente desumano e asqueroso, mas hoje em dia, já se tornou -comum-. Os números aumentam a cada ano!
Não importa aonde estava, com que roupa estava ou a que horas estava: a culpa NUNCA é da vítima. Nada justifica um ato como esse.
Se isso aconteceu ou venha a acontecer com você ou alguém que conhece, o que eu espero de verdade que nunca aconteça, NÃO SE CALE! Denuncie! Peça ajuda! Você não está sozinha.
Existem muitas Alexias por aí.
Voltemos ao RPG... NOTA DA AUTORA:
Eu não costumo interromper o RPG dessa maneira, mas dessa vez é necessário. Eu não gostaria de inserir uma cena como essa, mas foi necessário.
Coisas como essa acontecem diariamente, com mulheres do mundo todo (com homens também, mas a quantidade de casos com mulheres é muito maior). É completamente desumano e asqueroso, mas hoje em dia, já se tornou -comum-. Os números aumentam a cada ano!
Não importa aonde estava, com que roupa estava ou a que horas estava: a culpa NUNCA é da vítima. Nada justifica um ato como esse.
Se isso aconteceu ou venha a acontecer com você ou alguém que conhece, o que eu espero de verdade que nunca aconteça, NÃO SE CALE! Denuncie! Peça ajuda! Você não está sozinha.
Existem muitas Alexias por aí.
Voltemos ao RPG...

  • .
  • .

~Algumas semanas depois...
Mia ficou bastante traumatizada, mas se recuperou. Ela era extremamente grata a Christian. Por sorte, ela não reencontrou o príncipe do ar, que foi proibido pelos pais de ir a escola. Ele estava estudando em casa com um professor particular.
Com o tempo, Lunna e Dylan se aproximaram, assim como Mia e Mallory. As gêmeas aprimoraram seus poderes com a ajuda dos pais e já estavam bastante avançadas quanto a magia.
Michael, Alexia, Naty e Chris se tornaram muito amigos das gêmeas. Eles conversavam todos os dias na escola, e Chris e Mia se aproximaram bastante depois do ocorrido.
Nathaniel continuou sendo o mordomo da princesa do gelo, enquanto Tyler era o guarda particular da princesa das trevas. Mia e Nathaniel... ~Algumas semanas depois...
Mia ficou bastante traumatizada, mas se recuperou. Ela era extremamente grata a Christian. Por sorte, ela não reencontrou o príncipe do ar, que foi proibido pelos pais de ir a escola. Ele estava estudando em casa com um professor particular.
Com o tempo, Lunna e Dylan se aproximaram, assim como Mia e Mallory. As gêmeas aprimoraram seus poderes com a ajuda dos pais e já estavam bastante avançadas quanto a magia.
Michael, Alexia, Naty e Chris se tornaram muito amigos das gêmeas. Eles conversavam todos os dias na escola, e Chris e Mia se aproximaram bastante depois do ocorrido.
Nathaniel continuou sendo o mordomo da princesa do gelo, enquanto Tyler era o guarda particular da princesa das trevas. Mia e Nathaniel...

  • Eram amigos bem próximos. Se falavam quase sempre.
  • Eram amigos, mas não tão íntimos. Conversavam quando possível, porém Mia era mais próxima dos outros membros da realeza.
  • Quase não se falavam. Sua relação era de mordomo/princesa, apenas.

Enquanto Lunna e Tyler... Enquanto Lunna e Tyler...

  • Se tornaram grandes amigos. Sempre conversavam e se divertiam muito juntos.
  • Eles se falavam, mas não eram tão próximos.
  • Não iam com a cara um do outro. Praticamente não conversavam.

~ Após a escola...
Mallory, devido as suas obrigações de rainha, não podia acompanhar a filha no caminho da escola, mas Angeline fazia questão de sempre estar presente desde o acontecimento na reunião. Era uma tarde agradável e, como estavam se aproximando do domínio do gelo, esfriava. Mia e Angel estavam sentadas na carruagem enquanto o cocheiro a guiava, voltando para o castelo.
- Você está bem? - perguntou a tia, encarando a sobrinha. - Está quieta hoje.
- Não é nada. - Mia sorriu constrangida, desviando o olhar. - Só estou com saudades da Lunna, mas... Sei que ela se sente melhor com o papai.
- É complicado. - Angeline sorriu compreensiva. - Também sinto falta dela.
- Aliás... - começou a princesa, lembrando de algo que a algum tempo queria perguntar. - Quando o meu pai explicou sua versão da história, disse que você já estava na Terra quando a mamãe pediu que cuidasse de mim e da Lunna. O que estava fazendo lá?
Ela suspirou. Mia percebeu que tocara em um ponto delicado.
- Tudo bem se não quiser me contar. - completou rapidamente.
- Não, tudo bem. - esclareceu Angel. - Quando eu era mais nova, não tinha... Uma boa relação com meus pais, nem com a sua mãe. Eu era rebelde e não gostava muito de seguir as regras. - ela riu, lembrando de outros tempos.
"Eles viviam me comparando com a minha irmã. "Por que você não é como a Mallory, Angeline?" "A sua irmã é tão comportada... Você deveria ser como ela". Eu não queria ser como a Mallory! Ela sempre foi certinha e responsável, como você. Já eu... Era a ovelha negra da família."
"Uma vez, tive uma discussão feia com meus pais. Eu tinha por volta dos 17... Estava irritada e resolvi fugir. Eu juntei minhas coisas e parti para a Terra, onde eu sabia que eles não iriam me encontrar. É bem difícil de ir para a dimensão normal e confesso que usei métodos ilegais para isso."
"Alguns anos depois, eles faleceram. Eu vim para o funeral. Me arrependi tanto... Eles não entendiam meu ponto de vista, mas eu não era fácil de lidar. Mudei bastante depois daquele dia. Eu ainda não tinha feito as pazes com a Mallory, mas apoiamos uma a outra com a morte deles."
"Quando ela apareceu na porta da minha casa, com duas crianças filhas de um feiticeiro das trevas, achei que eu estava maluca. Aquela não era a Mallory que eu conhecia! Mas eu não poderia negar. Amei você e a Lunna desde o primeiro momento. Acho que foi aí que eu e sua mãe nos acertamos, mesmo que indiretamente."
- Não é uma história boa, mas... É a minha história. - ela sorriu, sem graça.
- Acho que eles ficariam orgulhosos de você. - confortou Mia, segurando a mão de Angel. - Todos cometemos erros, mas nunca é tarde demais para mudar.
A mais velha sorriu, desviando o olhar. Parecia perdida em pensamentos. ~ Após a escola...
Mallory, devido as suas obrigações de rainha, não podia acompanhar a filha no caminho da escola, mas Angeline fazia questão de sempre estar presente desde o acontecimento na reunião. Era uma tarde agradável e, como estavam se aproximando do domínio do gelo, esfriava. Mia e Angel estavam sentadas na carruagem enquanto o cocheiro a guiava, voltando para o castelo.
- Você está bem? - perguntou a tia, encarando a sobrinha. - Está quieta hoje.
- Não é nada. - Mia sorriu constrangida, desviando o olhar. - Só estou com saudades da Lunna, mas... Sei que ela se sente melhor com o papai.
- É complicado. - Angeline sorriu compreensiva. - Também sinto falta dela.
- Aliás... - começou a princesa, lembrando de algo que a algum tempo queria perguntar. - Quando o meu pai explicou sua versão da história, disse que você já estava na Terra quando a mamãe pediu que cuidasse de mim e da Lunna. O que estava fazendo lá?
Ela suspirou. Mia percebeu que tocara em um ponto delicado.
- Tudo bem se não quiser me contar. - completou rapidamente.
- Não, tudo bem. - esclareceu Angel. - Quando eu era mais nova, não tinha... Uma boa relação com meus pais, nem com a sua mãe. Eu era rebelde e não gostava muito de seguir as regras. - ela riu, lembrando de outros tempos.
"Eles viviam me comparando com a minha irmã. "Por que você não é como a Mallory, Angeline?" "A sua irmã é tão comportada... Você deveria ser como ela". Eu não queria ser como a Mallory! Ela sempre foi certinha e responsável, como você. Já eu... Era a ovelha negra da família."
"Uma vez, tive uma discussão feia com meus pais. Eu tinha por volta dos 17... Estava irritada e resolvi fugir. Eu juntei minhas coisas e parti para a Terra, onde eu sabia que eles não iriam me encontrar. É bem difícil de ir para a dimensão normal e confesso que usei métodos ilegais para isso."
"Alguns anos depois, eles faleceram. Eu vim para o funeral. Me arrependi tanto... Eles não entendiam meu ponto de vista, mas eu não era fácil de lidar. Mudei bastante depois daquele dia. Eu ainda não tinha feito as pazes com a Mallory, mas apoiamos uma a outra com a morte deles."
"Quando ela apareceu na porta da minha casa, com duas crianças filhas de um feiticeiro das trevas, achei que eu estava maluca. Aquela não era a Mallory que eu conhecia! Mas eu não poderia negar. Amei você e a Lunna desde o primeiro momento. Acho que foi aí que eu e sua mãe nos acertamos, mesmo que indiretamente."
- Não é uma história boa, mas... É a minha história. - ela sorriu, sem graça.
- Acho que eles ficariam orgulhosos de você. - confortou Mia, segurando a mão de Angel. - Todos cometemos erros, mas nunca é tarde demais para mudar.
A mais velha sorriu, desviando o olhar. Parecia perdida em pensamentos.

  • .
  • .

~Enquanto isso, no castelo das trevas...
Lunna abriu a porta de seu quarto e se jogou na cama, atirando a mochila em um canto. Estava completamente exausta.
- Dramática. - resmungou Moon, caminhando pelo quarto e pulando para cima da cama. - O que foi dessa vez?
- Eu estou cansada. - grunhiu, a voz abafada pelo travesseiro. - Gosto de aprender sobre os poderes, mas a escola é muito cansativa e puxada! E eu estou com saudade da minha irmã.
Batidas na porta foram ouvidas. Lunna bufou, erguendo a cabeça.
- Entra. - pediu. Tyler apareceu, abrindo a porta.
- Alteza. - disse, irônico. - Sua tia solicitou sua presença. ~Enquanto isso, no castelo das trevas...
Lunna abriu a porta de seu quarto e se jogou na cama, atirando a mochila em um canto. Estava completamente exausta.
- Dramática. - resmungou Moon, caminhando pelo quarto e pulando para cima da cama. - O que foi dessa vez?
- Eu estou cansada. - grunhiu, a voz abafada pelo travesseiro. - Gosto de aprender sobre os poderes, mas a escola é muito cansativa e puxada! E eu estou com saudade da minha irmã.
Batidas na porta foram ouvidas. Lunna bufou, erguendo a cabeça.
- Entra. - pediu. Tyler apareceu, abrindo a porta.
- Alteza. - disse, irônico. - Sua tia solicitou sua presença.

  • - Estou indo. - resmungou, se levantando e ajeitando o cabelo antes de segui-lo pelos corredores.
  • - É urgente? - questionou, com um biquinho. - Larga de ser preguiçosa. - Tyler riu. Lunna revirou os olhos antes de acompanhá-lo pelo castelo.

Tyler guiou a princesa pelo castelo, passando por caminhos que ela não conhecia.
- Aonde estamos indo? - perguntou, curiosa.
- Você vai descobrir. - respondeu apenas, com um sorrisinho.
Após alguns minutos de caminhada, ele parou em uma parede num corredor deserto, girando um das tochas. Surpreendentemente, a parede se moveu, revelando uma abertura secreta. Um corredor extenso e mal-iluminado era visível.
- Mas que... - exclamou a princesa, perplexa.
- Só me segue. - Tyler adentrou o local, e Lunna não teve outra escolha a não ser segui-lo.
Mais alguns minutos de caminhada e eles chegaram em uma enorme sala circular, com paredes feitas de pedra e iluminação (não que fosse necessária para feiticeiros das sombras) a base de tochas medievais, o que lembrava uma masmorra. O local barulhento estava cheio de pessoas, que caminhavam de um lado para o outro, conversando, e máquinas. No centro, Sasha os esperava.
- Querida! - ela sorriu largamente. - Que bom finalmente recebê-la em nossa... base. Ótimo trabalho, Tyler.
- Majestade. - ele se curvou, demonstrando respeito. Tyler guiou a princesa pelo castelo, passando por caminhos que ela não conhecia.
- Aonde estamos indo? - perguntou, curiosa.
- Você vai descobrir. - respondeu apenas, com um sorrisinho.
Após alguns minutos de caminhada, ele parou em uma parede num corredor deserto, girando um das tochas. Surpreendentemente, a parede se moveu, revelando uma abertura secreta. Um corredor extenso e mal-iluminado era visível.
- Mas que... - exclamou a princesa, perplexa.
- Só me segue. - Tyler adentrou o local, e Lunna não teve outra escolha a não ser segui-lo.
Mais alguns minutos de caminhada e eles chegaram em uma enorme sala circular, com paredes feitas de pedra e iluminação (não que fosse necessária para feiticeiros das sombras) a base de tochas medievais, o que lembrava uma masmorra. O local barulhento estava cheio de pessoas, que caminhavam de um lado para o outro, conversando, e máquinas. No centro, Sasha os esperava.
- Querida! - ela sorriu largamente. - Que bom finalmente recebê-la em nossa... base. Ótimo trabalho, Tyler.
- Majestade. - ele se curvou, demonstrando respeito.

  • - O que é que está acontecendo aqui? - Lunna perguntou, impaciente.
  • - Onde estamos? Quem é toda essa gente? - questionou, confusa.
  • - Base? - perguntou desconfiada.

A rainha das trevas suspirou.
- Achei que fosse mais inteligente, Lunna. - comentou em tom de reprovação. - Esses são meus aliados.
"Eu já estou farta de tudo isso. Esse preconceito e discriminação contra nós, feiticeiros das trevas. Isso é ridículo! Por anos e anos nos curvamos as vontades daqueles reis idiotas e não ganhamos nada em troca. Mas isso vai mudar em breve."
"Eu planejo uma rebelião. Juntamente com todos esses outros feiticeiros, vamos derrubar o sistema opressor dos outros reis e começar um novo império das trevas. Todos os outros vão se curvar a nós! Vamos revolucionar Enchnatment, querida. Vamos tornar esse reino um lugar melhor... para nós."
"Eu ameacei Mallory. Quando soube que ela estava grávida, tive esperanças de que nascesse com o elemento das trevas. Eu precisava de um herdeiro para o novo trono que irei estabelecer, e você parecia a pessoa perfeita. Filha do rei das trevas com a rainha do gelo... Os elementos mais poderosos. Por mais que não tenha ambos os poderes, tem ambas as forças."
- Então eu te convido, Lunna, a se juntar a mim. A nós. - ela indicou os demais ali presentes. - Tyler, por exemplo, é um dos nossos melhores soldados. Mas você... Você vai ser a rainha dessa nova era. Vai dominar todo o reino! A rainha das trevas suspirou.
- Achei que fosse mais inteligente, Lunna. - comentou em tom de reprovação. - Esses são meus aliados.
"Eu já estou farta de tudo isso. Esse preconceito e discriminação contra nós, feiticeiros das trevas. Isso é ridículo! Por anos e anos nos curvamos as vontades daqueles reis idiotas e não ganhamos nada em troca. Mas isso vai mudar em breve."
"Eu planejo uma rebelião. Juntamente com todos esses outros feiticeiros, vamos derrubar o sistema opressor dos outros reis e começar um novo império das trevas. Todos os outros vão se curvar a nós! Vamos revolucionar Enchnatment, querida. Vamos tornar esse reino um lugar melhor... para nós."
"Eu ameacei Mallory. Quando soube que ela estava grávida, tive esperanças de que nascesse com o elemento das trevas. Eu precisava de um herdeiro para o novo trono que irei estabelecer, e você parecia a pessoa perfeita. Filha do rei das trevas com a rainha do gelo... Os elementos mais poderosos. Por mais que não tenha ambos os poderes, tem ambas as forças."
- Então eu te convido, Lunna, a se juntar a mim. A nós. - ela indicou os demais ali presentes. - Tyler, por exemplo, é um dos nossos melhores soldados. Mas você... Você vai ser a rainha dessa nova era. Vai dominar todo o reino!

  • - Você sabia? - ela se volta para Tyler, chocada e irritada. Mais uma vez, se sentiu traída.
  • - Você mentiu pra mim! Disse que a minha mãe era uma mentirosa... E eu acreditei. - vociferou a princesa, frustrada.
  • Lunna apenas franziu a testa, pensativa. Tanto poder...

- Pense, Lunna. Não está cansada de ser julgada pelo seu elemento? De sofrer e de se esconder por causa deles? - disse Tyler, sério. - Junte-se a nós. Não vai se arrepender.
- O que me diz? - perguntou Sasha, docemente. - Pense, Lunna. Não está cansada de ser julgada pelo seu elemento? De sofrer e de se esconder por causa deles? - disse Tyler, sério. - Junte-se a nós. Não vai se arrepender.
- O que me diz? - perguntou Sasha, docemente.

  • - Nunca! - declara irritada, fuzilando a tia com o olhar. Sem olhar para trás, saiu do local pisando firme, completamente irada.
  • - Eu... preciso pensar. - confessou, torcendo os lábios. E quanto a Mia? E quanto aos seus amigos? Tinham vantagens e desvantagens na proposta de Sasha, e Lunna precisava pensar com mais calma.
  • - Eu aceito. - sorriu, determinada. O que ela tinha a perder? Sasha tinha razão! A princesa estava farta de se esconder, de ser julgada e temida por um preconceito sem fundamento. Era chegada a hora de fazer a diferença em Enchantment e mudar aquela realidade, ensinando aos demais feiticeiros que aqueles que possuíam poder das trevas mereciam respeito. Se não entendem pelo bem, então seriam necessárias medidas drásticas.
ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮 Refazer

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮

A parte 7 já está disponível em meu perfil 💜

Compartilhar

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮 Refazer

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮

A parte 7 já está disponível em meu perfil 💜

Compartilhar

Calculando Resultado

Publicidade

clock facebook twitter whatsapp redo search x home profile pencil logout quiz list test user star