Criar Quiz
Criar Quiz
As Feiticeiras (7/12) 🔮

As Feiticeiras (7/12) 🔮

Tags : Feiticeiras As Feiticeiras Bruxas Fantasia magia Quiz RPG

↪ Essa é a parte 7; para entender melhor, sugiro que faça as anteriores
↪ Quiz estilo RPG
↪ Terão 12 partes
↪ Novas partes toda terça e quinta!
↪ Todas as imagens foram retiradas do Pinterest, nenhuma me pertence!
↪ Confira meu perfil para mais RPGs!
↪ PLÁGIO É CRIME

Iniciar o Quiz
Incorporar
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17

Olá!
Passando aqui só para deixar alguns links, que sempre me pedem.
Criei um Instagram recentemente. Sempre interajo por lá e aviso quando não consigo postar, então certifique-se de me seguir por lá! https://www.instagram.com/rpurple.231/
Também tenho uma conta no Wattpad. No momento, estou muito sobrecarregada com coisas da escola, então vou terminar As Feiticeiras e só depois voltar a postar DEC (a primeira história original que tive coragem de postar kk. Os primeiros capítulos já estão disponíveis!). https://www.wattpad.com/user/RPurple231

Não vou enrolar muito hoje. Vamos a parte 7! Olá!
Passando aqui só para deixar alguns links, que sempre me pedem.
Criei um Instagram recentemente. Sempre interajo por lá e aviso quando não consigo postar, então certifique-se de me seguir por lá! https://www.instagram.com/rpurple.231/
Também tenho uma conta no Wattpad. No momento, estou muito sobrecarregada com coisas da escola, então vou terminar As Feiticeiras e só depois voltar a postar DEC (a primeira história original que tive coragem de postar kk. Os primeiros capítulos já estão disponíveis!). https://www.wattpad.com/user/RPurple231

Não vou enrolar muito hoje. Vamos a parte 7!

  • .
  • .

~No dia seguinte...
A princesa das trevas mal conseguiu dormir após a proposta de Sasha. Lunna estava completamente... ~No dia seguinte...
A princesa das trevas mal conseguiu dormir após a proposta de Sasha. Lunna estava completamente...

  • ...eufórica. Eram tantas possibilidades que se abriam! Sua tia tinha razão. Já havia passado da hora de mudar aquele reino. Ela mal podia esperar para mergulhar de cabeça nos preparativos de Sasha e, o mais cedo possível, iniciar a revolução prometida. Tyler, que também ficou muito feliz quando Lunna aceitou, iria ajudá-la a se localizar e treinar naquele dia. Ela mal podia esperar.
  • ...indecisa. Quando disse que precisava pensar, Sasha entendeu, mas disse que iria cobrar uma resposta logo. Lunna sabia das vantagens e desvantagens de aceitar e não tinha certeza se era o certo a se fazer...
  • ...irritada. Ainda não conseguia acreditar que sua própria tia e até mesmo Tyler estavam envolvidos com esse tipo de conspiração. E o pior: quando tentou conversar com seu pai, acabaram discutindo, pois ele confiava na irmã e achou que Mallory estava manipulando sua filha.

(SE VOCÊ ACEITOU/RECUSOU A PROPOSTA DE SASHA, PULE ESSA PARTE)
Batidas na porta fizeram a princesa dar um pulo.
- Por Deus, garota! - reclamou Moonlight. - Você anda muito nervosa ultimamente. O que aconteceu com a Lunna corajosa?
- Pare de bobeira. - mentiu, desviando o olhar enquanto se levantava para atender. Ela não havia contado nem mesmo a seu próprio gato.
Assim que abriu a porta, deu de cara com um sorridente Tyler.
- Alteza. - cumprimentou, com uma leve reverência. Lunna ergueu uma sobrancelha, cruzando os braços. - Okay, okay, "só Lunna". Vim a mando de Sasha para saber sua resposta.
Ela engoliu em seco. Esperava mesmo por isso.
- Não podem me dar mais tempo? - tentou, apreensiva.
- Não. - ele negou, sério. - Já esperamos tempo demais.
- Tudo bem. - suspirou. - Eu...

(OBS: Como não é possível pular linhas em opções, considerem o // como um novo parágrafo, okay?) (SE VOCÊ ACEITOU/RECUSOU A PROPOSTA DE SASHA, PULE ESSA PARTE)
Batidas na porta fizeram a princesa dar um pulo.
- Por Deus, garota! - reclamou Moonlight. - Você anda muito nervosa ultimamente. O que aconteceu com a Lunna corajosa?
- Pare de bobeira. - mentiu, desviando o olhar enquanto se levantava para atender. Ela não havia contado nem mesmo a seu próprio gato.
Assim que abriu a porta, deu de cara com um sorridente Tyler.
- Alteza. - cumprimentou, com uma leve reverência. Lunna ergueu uma sobrancelha, cruzando os braços. - Okay, okay, "só Lunna". Vim a mando de Sasha para saber sua resposta.
Ela engoliu em seco. Esperava mesmo por isso.
- Não podem me dar mais tempo? - tentou, apreensiva.
- Não. - ele negou, sério. - Já esperamos tempo demais.
- Tudo bem. - suspirou. - Eu...

(OBS: Como não é possível pular linhas em opções, considerem o // como um novo parágrafo, okay?)

  • - ...aceito. // - Eu sabia que iria fazer a escolha certa! - o guarda sorriu, empolgado. - Vamos. Sasha vai querer saber da novidade e você ainda tem muito para aprender.
  • - ...não quero me envolver com isso. // Tyler fechou a cara. Parecia desapontado. - Bom, a escolha é sua, mas... Eu esperava mais de você. // - Tyler... - repreendeu a princesa, franzindo a testa. Ele iria ficar irritado com ela só porque escolheu o que achou certo? // - Nos vemos outra hora, Alteza. - ele se afastou sem olhar para trás. Lunna bufou, batendo a porta.
  • ACEITEI A PROPOSTA/RECUSEI A PROPOSTA

(SE VOCÊ RECUSOU/DISSE QUE IRIA PENSAR PARA A PROPOSTA DE SASHA, PULE ESTA PARTE)
Batidas na porta chamaram a atenção da princesa.
- Entre. - disse, erguendo o olhar.
- Alteza. - Tyler apareceu, sorridente. - Hora do seu treinamento.
Lunna se levantou em um pulo, animada.
- Treinamento? - perguntou Moon, curioso. - Isso tem algo a ver com a sua felicidade repentina desde ontem a tarde?
- Nem tivemos tempo de conversar, mas depois te conto! - exclamou rapidamente. - Tchauzinho.
Ela saiu do quarto, encarando Tyler empolgada. Ambos iniciaram o caminho até a base secreta subterrânea. (SE VOCÊ RECUSOU/DISSE QUE IRIA PENSAR PARA A PROPOSTA DE SASHA, PULE ESTA PARTE)
Batidas na porta chamaram a atenção da princesa.
- Entre. - disse, erguendo o olhar.
- Alteza. - Tyler apareceu, sorridente. - Hora do seu treinamento.
Lunna se levantou em um pulo, animada.
- Treinamento? - perguntou Moon, curioso. - Isso tem algo a ver com a sua felicidade repentina desde ontem a tarde?
- Nem tivemos tempo de conversar, mas depois te conto! - exclamou rapidamente. - Tchauzinho.
Ela saiu do quarto, encarando Tyler empolgada. Ambos iniciaram o caminho até a base secreta subterrânea.

  • - Por onde começamos? - questionou. // - Calma aí, apressadinha. - ele riu. - Temos muito pela frente.
  • - Parece animada. - comentou o guarda, risonho. - Mas e então? Pronta para revolucionar Enchantment? // - Eu já nasci pronta. - se gabou, rindo.
  • RECUSEI/DISSE QUE IRIA PENSAR

(SE VOCÊ RECUSOU A PROPOSTA, SEJA NA PARTE ANTERIOR OU DEPOIS DE PENSAR, PULE ESSA PARTE)
(SE VOCÊ ACEITOU A PROPOSTA, SEJA NA PARTE ANTERIOR OU DEPOIS DE PENSAR, PROSSIGA)
Não demorou muito para que Tyler e Lunna chegassem as masmorras, onde novamente haviam diversos feiticeiros trabalhando.
- Querida! - cumprimentou Sasha, que já os esperava. - Estou tão feliz que tenha escolhido se juntar a nós. Esperei tanto por esse momento!
- Também estou feliz. - respondeu a princesa, abraçando a tia rapidamente como forma de cumprimento.
- Bom, sei que já conhece Tyler, mas está na hora de conhecer o restante da família Dark. - apontou a irmã do rei. - Eles vivem aqui desde muito pequenos. Os pais morreram quando os dois irmãos eram jovens, infelizmente, mas cresceram felizes e saudáveis. São de grande ajuda a nós. - elogiou.
- Sasha é como uma mãe pra nós. - confirmou Tyler. - Ela cuidou de mim e de Serena quando nossos pais morreram e nos acolheu entre os Revolucionários. É como chamamos o grupo.
- Serena? - perguntou Lunna, confusa.
- Minha irmã. - eles se aproximaram de uma mesa cheia de papéis, onde uma garota parecida com o guarda desenhava detalhadamente o que parecia ser um protótipo de armadura.
- Tyler. - ela cumprimentou o irmão sem desviar seus olhos do papel. - Eu estou trabalhando, se não percebeu.
- Queremos que conheça alguém, querida. - chamou Sasha, docemente.
Ela enfim ergueu o olhar, encarando os outros três com as orbes escuras e penetrantes.
- Ah. Você deve ser a princesa. - comentou, analisando Lunna dos pés a cabeça.
- Sou eu. - respondeu. - E você é... Serena?
- Sim. - ela sorriu, mas seus olhos ainda eram desconfiados. Ela não sabia se poderia confiar em Lunna.
- Acredito que seja a pessoa ideal para treiná-la. - declarou Sasha. - Serena é uma garota forte. Ela ajuda na montagem de armaduras, formação de planos e é nossa principal guerreira.
Ela bufou, parecendo incomodada.
- É claro. - concordou, se virando para Lunna. - Vamos achar algo pra você.
- Se precisarem de mim, estarei por aí. - a tia da princesa sorriu.
Serena se levantou, caminhando a passos firmes. Ela emanava confiança.
- Ah... - Lunna apressou o passo para acompanhá-la. - Aonde exatamente estamos indo?
- Pegar uma armadura. - ela parou em frente a uma mesa cheia de peças negras, ao lado de alguns homens trabalhando.
- Uou. - a princesa encarou as roupas, surpresa, segurando uma e a observando. - São bem resistentes. Do que são feitas?
- Trevas. - respondeu a mais velha sem desviar o olhar das demais peças dispostas sobre a mesa, as quais analisava minuciosamente. Ela indicou com a cabeça os homens ao lado, que usavam sua magia para a formação de peças.
- Mas... como? - perguntou, boquiaberta.
- Nunca viu um cavalo negro? - perguntou impaciente, erguendo uma calça para comparar o tamanho. - Alguns feiticeiros, os mais avançados, conseguem criar vida. Os demais só podem moldar peças, espinhos, muros e essas coisas. Achava que esse castelo era feito de que? (SE VOCÊ RECUSOU A PROPOSTA, SEJA NA PARTE ANTERIOR OU DEPOIS DE PENSAR, PULE ESSA PARTE)
(SE VOCÊ ACEITOU A PROPOSTA, SEJA NA PARTE ANTERIOR OU DEPOIS DE PENSAR, PROSSIGA)
Não demorou muito para que Tyler e Lunna chegassem as masmorras, onde novamente haviam diversos feiticeiros trabalhando.
- Querida! - cumprimentou Sasha, que já os esperava. - Estou tão feliz que tenha escolhido se juntar a nós. Esperei tanto por esse momento!
- Também estou feliz. - respondeu a princesa, abraçando a tia rapidamente como forma de cumprimento.
- Bom, sei que já conhece Tyler, mas está na hora de conhecer o restante da família Dark. - apontou a irmã do rei. - Eles vivem aqui desde muito pequenos. Os pais morreram quando os dois irmãos eram jovens, infelizmente, mas cresceram felizes e saudáveis. São de grande ajuda a nós. - elogiou.
- Sasha é como uma mãe pra nós. - confirmou Tyler. - Ela cuidou de mim e de Serena quando nossos pais morreram e nos acolheu entre os Revolucionários. É como chamamos o grupo.
- Serena? - perguntou Lunna, confusa.
- Minha irmã. - eles se aproximaram de uma mesa cheia de papéis, onde uma garota parecida com o guarda desenhava detalhadamente o que parecia ser um protótipo de armadura.
- Tyler. - ela cumprimentou o irmão sem desviar seus olhos do papel. - Eu estou trabalhando, se não percebeu.
- Queremos que conheça alguém, querida. - chamou Sasha, docemente.
Ela enfim ergueu o olhar, encarando os outros três com as orbes escuras e penetrantes.
- Ah. Você deve ser a princesa. - comentou, analisando Lunna dos pés a cabeça.
- Sou eu. - respondeu. - E você é... Serena?
- Sim. - ela sorriu, mas seus olhos ainda eram desconfiados. Ela não sabia se poderia confiar em Lunna.
- Acredito que seja a pessoa ideal para treiná-la. - declarou Sasha. - Serena é uma garota forte. Ela ajuda na montagem de armaduras, formação de planos e é nossa principal guerreira.
Ela bufou, parecendo incomodada.
- É claro. - concordou, se virando para Lunna. - Vamos achar algo pra você.
- Se precisarem de mim, estarei por aí. - a tia da princesa sorriu.
Serena se levantou, caminhando a passos firmes. Ela emanava confiança.
- Ah... - Lunna apressou o passo para acompanhá-la. - Aonde exatamente estamos indo?
- Pegar uma armadura. - ela parou em frente a uma mesa cheia de peças negras, ao lado de alguns homens trabalhando.
- Uou. - a princesa encarou as roupas, surpresa, segurando uma e a observando. - São bem resistentes. Do que são feitas?
- Trevas. - respondeu a mais velha sem desviar o olhar das demais peças dispostas sobre a mesa, as quais analisava minuciosamente. Ela indicou com a cabeça os homens ao lado, que usavam sua magia para a formação de peças.
- Mas... como? - perguntou, boquiaberta.
- Nunca viu um cavalo negro? - perguntou impaciente, erguendo uma calça para comparar o tamanho. - Alguns feiticeiros, os mais avançados, conseguem criar vida. Os demais só podem moldar peças, espinhos, muros e essas coisas. Achava que esse castelo era feito de que?

  • - É claro que eu sabia sobre os cavalos. Só não associei uma coisa a outra. - retrucou Lunna, ofendida com o tom da Dark.
  • Lunna não disse nada, constrangida por não saber. Seu pai havia lhe contado sobre os cavalos, mas não sabia que feiticeiros das trevas poderiam criar outras coisas com sua magia.
  • RECUSEI A PROPOSTA

(SE VOCÊ RECUSOU A PROPOSTA, PULE ESSA PARTE)
- Acho que essas vão servir. - concluiu a garota, separando uma armadura completa. - Vamos.
Serena guiou Lunna até uma das portas que haviam espalhadas pelo lugar. Ao abri-la, revelou uma espécie de arena, aparentemente vazia.
- O primeiro passo é treinar sua habilidade de luta corporal e os poderes. - explicou, entregando as peças para a princesa. - Por mais que possuamos as trevas a nosso favor, é sempre bom saber um pouco de defesa e ataque corpo a corpo.
Ela indicou um pequeno cômodo separado.
- Pode se vestir ali. - instruiu, se afastando.
Lunna caminhou até o local que descobriu ser um banheiro e vestiu a armadura, a qual serviu perfeitamente. Ao mesmo tempo que estava empolgada para começar os treinos, estava levemente assustada. Serena, além de mais velha, era muito mais experiente e ameaçadora.
Assim que terminou de se arrumar, saiu do local, encontrando a maior já pronta e no centro da arena.
- Não vai colocar uma armadura? - questionou Lunna. A outra riu.
- Eu não acho que seja necessário. - respondeu, se colocando em posição de luta. - Vamos ver o que você sabe fazer.
As garotas treinaram pelo resto da tarde. Lunna estava certa - Serena era bastante experiente. No fim, a princesa das trevas havia aprimorado relativamente bem suas habilidades de luta, mas ainda precisaria de mais treinos.
Como era a armadura utilizada pelos Revolucionários? (SE VOCÊ RECUSOU A PROPOSTA, PULE ESSA PARTE)
- Acho que essas vão servir. - concluiu a garota, separando uma armadura completa. - Vamos.
Serena guiou Lunna até uma das portas que haviam espalhadas pelo lugar. Ao abri-la, revelou uma espécie de arena, aparentemente vazia.
- O primeiro passo é treinar sua habilidade de luta corporal e os poderes. - explicou, entregando as peças para a princesa. - Por mais que possuamos as trevas a nosso favor, é sempre bom saber um pouco de defesa e ataque corpo a corpo.
Ela indicou um pequeno cômodo separado.
- Pode se vestir ali. - instruiu, se afastando.
Lunna caminhou até o local que descobriu ser um banheiro e vestiu a armadura, a qual serviu perfeitamente. Ao mesmo tempo que estava empolgada para começar os treinos, estava levemente assustada. Serena, além de mais velha, era muito mais experiente e ameaçadora.
Assim que terminou de se arrumar, saiu do local, encontrando a maior já pronta e no centro da arena.
- Não vai colocar uma armadura? - questionou Lunna. A outra riu.
- Eu não acho que seja necessário. - respondeu, se colocando em posição de luta. - Vamos ver o que você sabe fazer.
As garotas treinaram pelo resto da tarde. Lunna estava certa - Serena era bastante experiente. No fim, a princesa das trevas havia aprimorado relativamente bem suas habilidades de luta, mas ainda precisaria de mais treinos.
Como era a armadura utilizada pelos Revolucionários?

  • *ignorem o arco
    *ignorem o arco
  • *ignorem as armas
    *ignorem as armas
  • RECUSEI A PROPOSTA
    RECUSEI A PROPOSTA

~2 semanas depois...
O colégio Enchantment havia, enfim, entrado em férias. Por mais que as gêmeas gostassem de aprender mais sobre o novo universo que agora fazia parte de seu cotidiano, um descanso era sempre bem vindo. Por outro lado, como agora moravam em castelos diferentes, se viam menos do que antes, coisa que incomodava ambas.
Semanalmente, Mia encontrava seus amigos devido a reunião entre os reis, porém Lunna e Dylan não apareciam mais. O rei das trevas fazia questão de vir, mas os outros reis ainda não o aceitavam e, em uma das noites, tiveram uma discussão feia. Não concordavam com sua participação nas reuniões, ainda baseados na discriminação estúpida que sempre mantiveram. Ele e Lunna foram embora e não retornaram mais.
Por mais que estivesse sem ver sua irmã e amigos (Alexia e Michael, principalmente, que eram os mais próximos dela), Lunna ainda tinha... ~2 semanas depois...
O colégio Enchantment havia, enfim, entrado em férias. Por mais que as gêmeas gostassem de aprender mais sobre o novo universo que agora fazia parte de seu cotidiano, um descanso era sempre bem vindo. Por outro lado, como agora moravam em castelos diferentes, se viam menos do que antes, coisa que incomodava ambas.
Semanalmente, Mia encontrava seus amigos devido a reunião entre os reis, porém Lunna e Dylan não apareciam mais. O rei das trevas fazia questão de vir, mas os outros reis ainda não o aceitavam e, em uma das noites, tiveram uma discussão feia. Não concordavam com sua participação nas reuniões, ainda baseados na discriminação estúpida que sempre mantiveram. Ele e Lunna foram embora e não retornaram mais.
Por mais que estivesse sem ver sua irmã e amigos (Alexia e Michael, principalmente, que eram os mais próximos dela), Lunna ainda tinha...

  • ...Tyler, Serena e Sasha. Ela estava bastante envolvida com os Revolucionários, focada em seu objetivo e bastante próxima dos irmãos Dark. Continuou treinando e já estava bem melhor do que no início: havia aprimorado seus poderes e já estava quase profissional em luta corporal. Sasha, que havia se tornado uma mãe pra ela (já que ela não via Mallory e não tinha uma relação boa com a mesma), tinha muito orgulho da guerreira que Lunna estava se tornando.
  • ...seu pai. Dylan e Lunna eram muito próximos e o homem se esforçava ao máximo para ser um bom pai, sempre presente e a apoiando em tudo. Eles passavam bastante tempo juntos, na tentativa de recuperar o tempo perdido, e o rei estava ajudando Lunna a aprimorar seus poderes. Depois da discussão que tiveram quanto a Sasha, a princesa não voltou a tocar no assunto.

Já Mia passava muito tempo com Mallory e Angeline. Ela e a mãe se tornaram bastante próximas e sua tia, sempre presente, estava dando aulas particulares para a sobrinha. Mia desejava ter um domínio maior dos seus poderes e Angel não pensou duas vezes em se oferecer para ajudar. Ela também conversava com Nathaniel frequentemente.
Ela estava cada vez mais próxima dos outros príncipes e princesas (exceto Adrien, que havia sofrido as consequências da justiça de Enchantment e agora não estava autorizado a sair de casa por um tempo), principalmente de Nataly e Christian, visto que todos se encontravam uma vez por semana nas reuniões.
Em uma delas, Mia estava sentada ao lado da janela, encarando a neve que caía do lado de fora, desanimada. Ela não tinha notícias de Lunna a um bom tempo e aquilo a incomodava.
- Hey. - chamou Chris, se aproximando e sentando-se ao lado da princesa. - Que cara é essa?
- Que cara? - perguntou, disfarçando.
- Essa cara. - ele apontou, rindo.
- Essa é a minha cara. Não sei do que está falando. - respondeu, rindo com ele.
Mia suspirou, desviando o olhar.
- Está com saudades da Lunna, não é? - questionou ele, sorrindo compreensivo.
- Ela é muito importante pra mim. - confessou.
- Bom, não posso te levar até ela, mas acho que sei o que pode te animar. - ele se levantou, estendendo a mão para ajudar a princesa. - Vamos.
A princesa da neve ergueu uma sobrancelha, curiosa, mas aceitou a ajuda. Discretamente, ambos saíram do cômodo, caminhando pelos corredores do castelo. Já Mia passava muito tempo com Mallory e Angeline. Ela e a mãe se tornaram bastante próximas e sua tia, sempre presente, estava dando aulas particulares para a sobrinha. Mia desejava ter um domínio maior dos seus poderes e Angel não pensou duas vezes em se oferecer para ajudar. Ela também conversava com Nathaniel frequentemente.
Ela estava cada vez mais próxima dos outros príncipes e princesas (exceto Adrien, que havia sofrido as consequências da justiça de Enchantment e agora não estava autorizado a sair de casa por um tempo), principalmente de Nataly e Christian, visto que todos se encontravam uma vez por semana nas reuniões.
Em uma delas, Mia estava sentada ao lado da janela, encarando a neve que caía do lado de fora, desanimada. Ela não tinha notícias de Lunna a um bom tempo e aquilo a incomodava.
- Hey. - chamou Chris, se aproximando e sentando-se ao lado da princesa. - Que cara é essa?
- Que cara? - perguntou, disfarçando.
- Essa cara. - ele apontou, rindo.
- Essa é a minha cara. Não sei do que está falando. - respondeu, rindo com ele.
Mia suspirou, desviando o olhar.
- Está com saudades da Lunna, não é? - questionou ele, sorrindo compreensivo.
- Ela é muito importante pra mim. - confessou.
- Bom, não posso te levar até ela, mas acho que sei o que pode te animar. - ele se levantou, estendendo a mão para ajudar a princesa. - Vamos.
A princesa da neve ergueu uma sobrancelha, curiosa, mas aceitou a ajuda. Discretamente, ambos saíram do cômodo, caminhando pelos corredores do castelo.

  • .
  • .

Ambos caminharam até chegar aos jardins do palácio, que estavam cheios de neve, como sempre. Christian procurou por um lugar mais escondido, longe de janelas. Um pequeno banco branco foi perfeito.
Delicadamente, ele ergueu o queixo de Mia, fazendo com que os olhos da princesa enxergassem o céu. As sete luas de Enchantment estavam lá, mas uma, a do centro, estava enorme e brilhante, cintilando entre as estrelas. Imediatamente a princesa lembrou da irmã.
- Bonita, não é? - elogiou o príncipe da terra, sentado ao lado da garota no banco.
- É linda. - suspirou Mia. - Mas uma coisa que nunca entendi... Por que existem sete luas?
- Na Terra só tem uma? - perguntou Chris, confuso. Ela confirmou, rindo. - Estranho. Bom, cada uma representa um dos Elementos.
- Ah. Faz sentido. - riu, sem jeito.
Ele sorriu, a encarando profundamente.
- O que foi? - perguntou a princesa, corando.
- O seu sorriso. É perfeito. - comentou ele, aproximando seus rostos. Ambos caminharam até chegar aos jardins do palácio, que estavam cheios de neve, como sempre. Christian procurou por um lugar mais escondido, longe de janelas. Um pequeno banco branco foi perfeito.
Delicadamente, ele ergueu o queixo de Mia, fazendo com que os olhos da princesa enxergassem o céu. As sete luas de Enchantment estavam lá, mas uma, a do centro, estava enorme e brilhante, cintilando entre as estrelas. Imediatamente a princesa lembrou da irmã.
- Bonita, não é? - elogiou o príncipe da terra, sentado ao lado da garota no banco.
- É linda. - suspirou Mia. - Mas uma coisa que nunca entendi... Por que existem sete luas?
- Na Terra só tem uma? - perguntou Chris, confuso. Ela confirmou, rindo. - Estranho. Bom, cada uma representa um dos Elementos.
- Ah. Faz sentido. - riu, sem jeito.
Ele sorriu, a encarando profundamente.
- O que foi? - perguntou a princesa, corando.
- O seu sorriso. É perfeito. - comentou ele, aproximando seus rostos.

  • Tímida, a princesa da neve se aproximou também. Um beijo calmo e delicado teve início, cheio de sentimento.
  • Educadamente, ela virou o rosto, voltando a encarar a lua. Não sentia o mesmo por Chris, mas não sabia como dizer. Porém, ele entendeu, se afastando rapidamente.
  • - Chris, eu... - começou, insegura, desviando o olhar. // - Qual é o problema? - perguntou, preocupado. - Eu achei que... Me desculpe, não era a minha intenção te constranger ou nada assim... // - Não, não, está tudo bem! - explicou rapidamente. - O problema não é você. Só... não sei se estou pronta pra isso, entende? - ela parecia desconfortável, mas ele rapidamente entendeu. // - É claro. Desculpe. - murmurou ele, sentindo-se culpado. Ele deveria saber que, depois do ocorrido com Adrien, não seria sensato tomar uma iniciativa tão direta e repentina. // Mia suspirou. Não queria magoar Chris, pois realmente gostava dele, mas não estava segura o suficiente. Como forma de afeto, apoiou sua cabeça no ombro do garoto, encarando as luas. Ele passou o braço pelos ombros da princesa, também desviando o olhar para o céu.

- Mia! - um grito repentino chamou a atenção dos dois.
O gato branco, saltitando em meio a neve, foi quase imperceptível. Assim que viu o príncipe, parou.
- Eu... atrapalhei alguma coisa? - perguntou, constrangido. Mia corou.
- N-não! - respondeu rapidamente. - O que houve?
- É a Lunna. Ou melhor, o Moon. - explicou. Assim que disse o nome da gêmea, a princesa se levantou num salto. Chris, preocupado, fez o mesmo, segurando a mão da garota como forma de apoio.
- Mas como...? Eles estão aqui? - questionou, franzindo a testa.
- Eu e o Moon somos gatos opostos... Tipo, irmãos. Temos uma conexão, entende? - esclareceu. - Ele está chamando. Achei que deveria te chamar.
- Claro. - ela se virou para Christian. - Desculpe, eu...
- Tudo bem. - ele sorriu. - Vá.
Ela retribuiu o sorriso, aliviada. Depositou um beijo rápido na bochecha do rapaz e, então, soltando sua mão, caminhando até Snowflake.
- Mostre o caminho. - pediu.
O gato se virou, voltando a correr pela neve. Imediatamente, ela o seguiu. - Mia! - um grito repentino chamou a atenção dos dois.
O gato branco, saltitando em meio a neve, foi quase imperceptível. Assim que viu o príncipe, parou.
- Eu... atrapalhei alguma coisa? - perguntou, constrangido. Mia corou.
- N-não! - respondeu rapidamente. - O que houve?
- É a Lunna. Ou melhor, o Moon. - explicou. Assim que disse o nome da gêmea, a princesa se levantou num salto. Chris, preocupado, fez o mesmo, segurando a mão da garota como forma de apoio.
- Mas como...? Eles estão aqui? - questionou, franzindo a testa.
- Eu e o Moon somos gatos opostos... Tipo, irmãos. Temos uma conexão, entende? - esclareceu. - Ele está chamando. Achei que deveria te chamar.
- Claro. - ela se virou para Christian. - Desculpe, eu...
- Tudo bem. - ele sorriu. - Vá.
Ela retribuiu o sorriso, aliviada. Depositou um beijo rápido na bochecha do rapaz e, então, soltando sua mão, caminhando até Snowflake.
- Mostre o caminho. - pediu.
O gato se virou, voltando a correr pela neve. Imediatamente, ela o seguiu.

  • .
  • .

(finjam que está de noite)

Eles caminharam por um bom tempo, saindo do domínio da Neve e adentrando a floresta, que ficava no centro de Enchantment. Porém, ao se aproximarem de uma clareira, Snow reduziu o passo.
Adentraram o espaço e, para a surpresa dos dois, Lunna e Moonlight estavam ali parados.
- Lunna! - exclamou a loira, correndo até a irmã para abaraçá-la.
- Mia! - ela retribuiu o abraço, contente. Quando se afastaram, deram as mãos, mas ela encarou seu gato. - Moon, você é um gênio.
- Eu disse que iria funcionar. - se gabou. Ambas riram, contentes.
- Por que não disseram que podiam fazer isso antes? - perguntou Mia. - Eu não fazia ideia!
- Nunca perguntaram. - Snow deu de ombros. - E nunca foi necessário.
- Ah! - exclamou a princesa da neve. - Estou tão feliz em ver você. Eu estava morrendo de saudades!
- Eu também. - Lunna sorriu. - Mas e então? Como vão as coisas? Tia Angel, Alexia, Michael...
- Todos estão bem. - garantiu. - Ando treinando meus poderes com a tia Angel.
Aquilo lembrou Lunna de algo... (finjam que está de noite)

Eles caminharam por um bom tempo, saindo do domínio da Neve e adentrando a floresta, que ficava no centro de Enchantment. Porém, ao se aproximarem de uma clareira, Snow reduziu o passo.
Adentraram o espaço e, para a surpresa dos dois, Lunna e Moonlight estavam ali parados.
- Lunna! - exclamou a loira, correndo até a irmã para abaraçá-la.
- Mia! - ela retribuiu o abraço, contente. Quando se afastaram, deram as mãos, mas ela encarou seu gato. - Moon, você é um gênio.
- Eu disse que iria funcionar. - se gabou. Ambas riram, contentes.
- Por que não disseram que podiam fazer isso antes? - perguntou Mia. - Eu não fazia ideia!
- Nunca perguntaram. - Snow deu de ombros. - E nunca foi necessário.
- Ah! - exclamou a princesa da neve. - Estou tão feliz em ver você. Eu estava morrendo de saudades!
- Eu também. - Lunna sorriu. - Mas e então? Como vão as coisas? Tia Angel, Alexia, Michael...
- Todos estão bem. - garantiu. - Ando treinando meus poderes com a tia Angel.
Aquilo lembrou Lunna de algo...

  • - Quase esqueci o motivo de eu ter te chamado aqui. - declarou, preocupada. - É a Sasha. Eu descobri que ela tem uma espécie de grupo de feiticeiros das sombras e eles planejam uma revolução. // - O que? - perguntou Mia, em choque. // - Eu sei! Ela me chamou para ajudar, mas eu obviamente neguei. - explicou Lunna. - E pra piorar, o papai não acredita em mim.
  • ...porém, ela preferiu não dizer nada. Tinha a impressão de que sua irmã não aprovaria e nem entenderia seu envolvimento com os Revolucionários.
  • - Ah, eu já ia esquecendo! - exclamou, animada. - Tenho algo para te contar. Eu também ando treinando, mas com a tia Sasha. Ela tem um grupo de feiticeiros das trevas que planejam uma revolução. // - O que?! - questionou Mia, incrédula. // - Sim! O objetivo deles é mudar algumas coisas em Enchantment, como por exemplo, o preconceito. Se autodenominam Revolucionários. Todos são tão legais! Me sinto muito útil trabalhando em uma causa para o bem do meu Elemento.

(SE VOCÊ CONTOU A MIA, PULE ESSA PARTE)
Lunna mudou de assunto rapidamente, determinada a não dizer nada.
Ambas ficaram ali até tarde da noite, conversando e matando a saudade. Para a sorte de Mia, Chris inventou uma desculpa para Mallory, então a princesa não teve problemas ao retornar. (SE VOCÊ CONTOU A MIA, PULE ESSA PARTE)
Lunna mudou de assunto rapidamente, determinada a não dizer nada.
Ambas ficaram ali até tarde da noite, conversando e matando a saudade. Para a sorte de Mia, Chris inventou uma desculpa para Mallory, então a princesa não teve problemas ao retornar.

  • .
  • CONTEI A MIA

(SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
- Por que ele não acredita em você? - perguntou Mia, confusa.
- Ele confia muito na Sasha. Acha que a mamãe anda colocando coisas na minha cabeça. - ela revirou os olhos. - Mas temos que fazer alguma coisa. É um grupo forte e podem atacar a qualquer momento.
- Não se preocupe. Vou contar a mamãe e ela provavelmente vai avisar aos outros reis. - declarou a princesa da neve. - Mas fico feliz por ter me contado e feito o que é certo.
- Eu nunca esconderia algo de você. - garantiu Lunna. - Só espero que dê tudo certo.
- Eu também. - Mia suspirou, preocupada com sua irmã e seu reino.
Elas conversaram por mais um tempo, matando a saudade uma da outra. Lunna contou tudo o que sabia sobre Sasha, com mais alguns detalhes, para que Mia pudesse repassar tudo a Mallory. Ambas só foram se despedir tarde da noite, voltando aos seus respectivos castelos. (SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
- Por que ele não acredita em você? - perguntou Mia, confusa.
- Ele confia muito na Sasha. Acha que a mamãe anda colocando coisas na minha cabeça. - ela revirou os olhos. - Mas temos que fazer alguma coisa. É um grupo forte e podem atacar a qualquer momento.
- Não se preocupe. Vou contar a mamãe e ela provavelmente vai avisar aos outros reis. - declarou a princesa da neve. - Mas fico feliz por ter me contado e feito o que é certo.
- Eu nunca esconderia algo de você. - garantiu Lunna. - Só espero que dê tudo certo.
- Eu também. - Mia suspirou, preocupada com sua irmã e seu reino.
Elas conversaram por mais um tempo, matando a saudade uma da outra. Lunna contou tudo o que sabia sobre Sasha, com mais alguns detalhes, para que Mia pudesse repassar tudo a Mallory. Ambas só foram se despedir tarde da noite, voltando aos seus respectivos castelos.

  • .
  • NÃO CONTEI/ESTOU PARTICIPANDO

(SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
- Mas... Lunna, isso é... - Mia parecia reprovar a ideia. - Isso é seguro? Sasha pretende usar a violência? (SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
- Mas... Lunna, isso é... - Mia parecia reprovar a ideia. - Isso é seguro? Sasha pretende usar a violência?

  • - Não, eu acho, mas se for necessário... - respondeu Lunna, séria. - Os feiticeiros das trevas foram oprimidos por muito tempo. Chegou a hora de por um fim nisso.
  • - É claro que não! - esclareceu a princesa das trevas. - Não se preocupe. Tudo o que queremos é melhorar as condições dos feiticeiros das trevas.
  • NÃO CONTEI/NÃO ESTOU PARTICIPANDO

(SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
Mia torceu os lábios, receosa. (SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
Mia torceu os lábios, receosa.

  • - Não acho que esse grupo seja uma boa ideia. - disse, por fim. - Precisamos contar a mamãe. Pode ser uma ameaça.
  • - Confio em você para fazer o que é certo. - declarou. - Só tenha cuidado e, caso isso passe dos limites, não siga em frente.
  • NÃO CONTEI/NÃO ESTOU PARTICIPANDO

(SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
(SE MIA NÃO CONCORDOU COM O GRUPO, PULE ESSA PARTE)
- Sabia que iria entender. - Lunna suspirou, abraçando a irmã. - É uma grande oportunidade. Podemos fazer a diferença.
- Prometa que tomará cuidado. - pediu, preocupada.
- Eu prometo. - garantiu a mais velha.
Elas passaram mais um bom tempo conversando e matando a saudade. Lunna deu detalhes do grupo e das amizades que havia feito, deixando Mia mais tranquila. (SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
(SE MIA NÃO CONCORDOU COM O GRUPO, PULE ESSA PARTE)
- Sabia que iria entender. - Lunna suspirou, abraçando a irmã. - É uma grande oportunidade. Podemos fazer a diferença.
- Prometa que tomará cuidado. - pediu, preocupada.
- Eu prometo. - garantiu a mais velha.
Elas passaram mais um bom tempo conversando e matando a saudade. Lunna deu detalhes do grupo e das amizades que havia feito, deixando Mia mais tranquila.

  • .
  • MIA NÃO CONCORDOU COM O GRUPO
  • NÃO CONTEI/NÃO ESTOU PARTICIPANDO

(SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
(SE MIA CONCORDOU COM O GRUPO, PULE ESSA PARTE)
- Achei... que me entenderia. - comentou Lunna, desapontada.
- Mas isso não é certo! - replicou Mia, se levantando. Em algum momento, ambas haviam se sentado na grama. - Além de ser perigoso, é simplesmente errado! Vocês vão machucar outros feiticeiros? Fazer o mesmo que fizeram com vocês? Isso é justo?
- Não foi isso o que eu disse! - se defendeu Lunna, também se levantando. - Você deveria me apoiar. Somos irmãs!
- Exatamente! Eu deveria te apoiar nas coisas sensatas, mas você está sendo egoísta! - explicou a princesa da neve.
- Eu quem estou sendo egoísta? - gritou, irritada. - Você acha certo o preconceito com os feiticeiros das trevas, é isso?
- Claro que não! - se defendeu. - Só acho que violência apenas gera mais violência. Querem machucar inocentes! Nem todos são preconceituosos.
- E nem todos somos maus. - protestou, cruzando os braços. - Você não entende. Nunca vai entender. Não era você que sentia frio, não era você que via o desprezo nos olhos da própria mãe e não era você que escutava cochichos maldosos na escola!
- Lunna, por favor... - pediu Mia. Ela queria que pudessem resolver as coisas de outra forma, mas conhecia o temperamento da irmã.
- Não. - ela se afastou. - Vamos, Moon.
Moon e Snow assistiam tudo, em choque. Era a primeira briga das gêmeas em anos.
- Moon! - repetiu Lunna, impaciente.
Os gatos trocaram um olhar antes de Moonlight se afastar, sumindo pelas árvores. Lunna o seguiu sem olhar para trás.
Mia suspirou, magoada.
Snow não disse nada, apenas começou a fazer o caminho de volta. A garota o seguiu. (SE VOCÊ NÃO CONTOU/CONTOU, MAS NÃO ESTÁ PARTICIPANDO DOS REVOLUCIONÁRIOS, PULE ESSA PARTE)
(SE MIA CONCORDOU COM O GRUPO, PULE ESSA PARTE)
- Achei... que me entenderia. - comentou Lunna, desapontada.
- Mas isso não é certo! - replicou Mia, se levantando. Em algum momento, ambas haviam se sentado na grama. - Além de ser perigoso, é simplesmente errado! Vocês vão machucar outros feiticeiros? Fazer o mesmo que fizeram com vocês? Isso é justo?
- Não foi isso o que eu disse! - se defendeu Lunna, também se levantando. - Você deveria me apoiar. Somos irmãs!
- Exatamente! Eu deveria te apoiar nas coisas sensatas, mas você está sendo egoísta! - explicou a princesa da neve.
- Eu quem estou sendo egoísta? - gritou, irritada. - Você acha certo o preconceito com os feiticeiros das trevas, é isso?
- Claro que não! - se defendeu. - Só acho que violência apenas gera mais violência. Querem machucar inocentes! Nem todos são preconceituosos.
- E nem todos somos maus. - protestou, cruzando os braços. - Você não entende. Nunca vai entender. Não era você que sentia frio, não era você que via o desprezo nos olhos da própria mãe e não era você que escutava cochichos maldosos na escola!
- Lunna, por favor... - pediu Mia. Ela queria que pudessem resolver as coisas de outra forma, mas conhecia o temperamento da irmã.
- Não. - ela se afastou. - Vamos, Moon.
Moon e Snow assistiam tudo, em choque. Era a primeira briga das gêmeas em anos.
- Moon! - repetiu Lunna, impaciente.
Os gatos trocaram um olhar antes de Moonlight se afastar, sumindo pelas árvores. Lunna o seguiu sem olhar para trás.
Mia suspirou, magoada.
Snow não disse nada, apenas começou a fazer o caminho de volta. A garota o seguiu.

  • .
  • MIA CONCORDOU COM O GRUPO
  • NÃO CONTEI/NÃO ESTOU PARTICIPANDO
ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮 Refazer

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮

A parte 8 já está disponível em meu perfil 💜

Compartilhar

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮 Refazer

ℭ𝔬𝔫𝔱𝔦𝔫𝔲𝔞... 🔮

A parte 8 já está disponível em meu perfil 💜

Compartilhar

Calculando Resultado

Publicidade

clock facebook twitter whatsapp redo search x home profile pencil logout quiz list test user star