Criar Quiz
Criar Quiz
O Brasil do século XIX

O Brasil do século XIX

Tags : Estudos Brasil História

Responda as questões referentes a chegada da corte no Brasil, o processo de independência e o período imperial.

Iniciar o Quiz
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18

O ano de 2019 assinala os duzentos e onze anos da chegada da Família Real ao Brasil. Sobre isso assinale a alternativa correta. O ano de 2019 assinala os duzentos e onze anos da chegada da Família Real ao Brasil. Sobre isso assinale a alternativa correta.

  • A política de terras foi imediatamente implementada e, em 1810, o Brasil realizava sua primeira reforma agrária.
  • As motivações da vinda da Família Real para o Brasil estão relacionadas mais à realidade européia do período do que à ideia de desenvolvimento de um Brasil monárquico
  • A monarquia que chegava ao Brasil representava, em realidade, boa parte dos ideais da Revolução Francesa e do liberalismo europeu daquele período.
  • Chegando ao Brasil, o monarca trabalhou muito para a ampliação da cidadania.

Sobre a vinda da Coroa Portuguesa para o Brasil, é correto afirmar que: Sobre a vinda da Coroa Portuguesa para o Brasil, é correto afirmar que:

  • A abertura dos portos brasileiros às nações amigas beneficiou principalmente à Inglaterra.
  • O bloqueio continental decretado por Napoleão Bonaparte foi o incentivo a permanência de D. João VI em Lisboa
  • A abertura dos portos beneficiou o desenvolvimento industrial do Brasil.
  • A abertura dos portos brasileiros às nações amigas beneficiou principalmente à Uruguai e Argentina

A chegada da Família Real e da Corte Portuguesa ao Rio de Janeiro em 1808 introduziu grandes mudanças na sociedade brasileira. Os grandes proprietários rurais e negociantes aglutinaram-se ainda mais do que antes ao redor da Família Real. Isso permitiu que, no contexto da independência (1822), alguns fenômenos permanecessem. Tendo em vista esses processos escolha a alternativa correta: A chegada da Família Real e da Corte Portuguesa ao Rio de Janeiro em 1808 introduziu grandes mudanças na sociedade brasileira. Os grandes proprietários rurais e negociantes aglutinaram-se ainda mais do que antes ao redor da Família Real. Isso permitiu que, no contexto da independência (1822), alguns fenômenos permanecessem. Tendo em vista esses processos escolha a alternativa correta:

  • O fim do laço colonial formal com Portugal permitiu a diminuição da relação de dependência frente à Inglaterra.
  • A escravidão foi mantida, sem que os poucos questionamentos a ela conseguissem prevalecer nem nos projetos de Independência, nem na elaboração de um projeto de Constituição em 1823, nem ainda na Constituição outorgada em 1824.
  • A escravidão atingiu sua diminuição no Brasil imediatamente após a Independência, pois as negociações internacionais pelo reconhecimento da abolição levaram à tentativa de supressão do tráfico de escravos africanos em 1830.
  • O apoio inglês à manutenção da escravidão e do tráfico de escravos permitiu que o cativeiro permanecesse no Brasil até 1993

A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades diversas e funcionários régios continuaram embarcando para o Brasil atrás da corte, dos seus empregos e dos seus parentes após o ano de 1808.

NOVAIS, F. A.; ALENCASTRO, L. F. (Org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1997.

Os fatos apresentados se relacionam ao processo de independência da América portuguesa por terem: A transferência da corte trouxe para a América portuguesa a família real e o governo da Metrópole. Trouxe também, e sobretudo, boa parte do aparato administrativo português. Personalidades diversas e funcionários régios continuaram embarcando para o Brasil atrás da corte, dos seus empregos e dos seus parentes após o ano de 1808.

NOVAIS, F. A.; ALENCASTRO, L. F. (Org.). História da vida privada no Brasil. São Paulo: Cia. das Letras, 1997.

Os fatos apresentados se relacionam ao processo de independência da América portuguesa por terem:

  • motivado as revoltas escravas contra a elite colonial
  • incentivado o clamor popular por liberdade
  • obtido o apoio do grupo constitucionalista português.
  • enfraquecido o pacto de dominação metropolitana

A Independência do Brasil, em 1822, foi fruto de uma série de fatores cujo ponto de partida se pode loca­lizar na vinda da família real para o Brasil, em 1808. Com a Corte no Brasil e a sede da monarquia para cá transmutada, deflagrou-se uma verdadeira inversão de papéis, tornando-se Portugal uma “colônia de uma colônia sua”. A tentativa de Portugal de reverter essa situação e tornar-se novamente metrópole do Brasil foi revelada de forma mais contundente através da: A Independência do Brasil, em 1822, foi fruto de uma série de fatores cujo ponto de partida se pode loca­lizar na vinda da família real para o Brasil, em 1808. Com a Corte no Brasil e a sede da monarquia para cá transmutada, deflagrou-se uma verdadeira inversão de papéis, tornando-se Portugal uma “colônia de uma colônia sua”. A tentativa de Portugal de reverter essa situação e tornar-se novamente metrópole do Brasil foi revelada de forma mais contundente através da:

  • Dia do Fico
  • Revolução dos Cravos.
  • Revolução da Maria da Fonte
  • Revolta Liberal do Porto.

A respeito da independência do Brasil, é correto afirmar que: A respeito da independência do Brasil, é correto afirmar que:

  • implicou em transformações radicais da estrutura produtiva e da ordem social, sob o regime monár­quico.
  • implicou em autonomia política e em reformas moderadas na ordem social decorrentes do novo status político.
  • trouxe consigo o fim do escravismo e a imple­mentação do trabalho livre como única forma de trabalho e o fim do domínio metropolitano.
  • decorreu da luta palaciana entre João VI, Carlota Joaquina e Pedro I, e teve como conseqüência imediata a abertura dos portos.

A nação independente continuaria subordinada à economia colonial, passando do domínio português à tutela britânica. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e a escravidão da maioria dos habitantes do país.

Emília V. da Costa

A interpretação correta do texto anterior sobre a inde­pendência brasileira seria: A nação independente continuaria subordinada à economia colonial, passando do domínio português à tutela britânica. A fachada liberal construída pela elite europeizada ocultava a miséria e a escravidão da maioria dos habitantes do país.

Emília V. da Costa

A interpretação correta do texto anterior sobre a inde­pendência brasileira seria:

  • espírito liberal de nossas elites não impediu que elas mantivessem as estruturas arcaicas da escravidão e do latifúndio, sendo a monarquia a garantia de tais privilégios.
  • a preservação da ordem estabelecida, isto é, escravidão, latifúndios e privilégios políticos da elite, seria garantida pelo novo governo republi­cano.
  • a nossa independência caracterizou-se pelo pro­cesso revolucionário que rompeu socialmente com o passado colonial.
  • o rompimento com a dependência inglesa foi ine­vitável, já que, após a independência, o governo passou a incentivar o mercado interno e a indus­trialização.

Sobre o processo de Independência deflagrado no Brasil em 1822, que implementou o Primeiro Reinado, é possível dizer que: Sobre o processo de Independência deflagrado no Brasil em 1822, que implementou o Primeiro Reinado, é possível dizer que:

  • foi um processo deflagrado no Brasil após a morte de D. Pedro I
  • foi um processo articulado por Napoleão Bonaparte, que fugiu da ilha de Santa Helena para o Brasil em 1819.
  • foi um reflexo da Revolução Liberal do Porto (1820), que exigiu o retornou de D. João VI para Portugal.
  • Dom Pedro antecipou-se à estratégia de seu irmão, D. Miguel, que também queria ser imperador do Brasil.

Sobre a Constituição de 1824, redigida no Primeiro Reinado brasileiro (1822-1831), é CORRETO afirmar que: Sobre a Constituição de 1824, redigida no Primeiro Reinado brasileiro (1822-1831), é CORRETO afirmar que:

  • D. Pedro I, após ser eleito em 1822, governou com apoio das mais variadas classes sociais brasileiras, produzindo uma Constituição baseada nos interesses da população, que incluia o direito a voto e a abolição da escravidão
  • Tinha as seguintes características: O governo era uma monarquia unitária e hereditária; A existência de 4 poderes: o Legislativo, o Executivo, o Judiciário e o Poder Moderador, este acima dos demais poderes, exercido pelo Imperador; O Estado adotava o catolicismo apostólico romano como religião oficial e o voto era censitário
  • ao estabelecer o sufrágio censitário, a primeira Constituição brasileira, promulgada em 1824, sustentava a tese liberal de que “todos os homens nascem livres e iguais”.
  • Tinha como características O governo era uma república; A existência de 4 poderes: o Legislativo, o Executivo, o Judiciário e o Poder Moderador, este acima dos demais poderes, exercido pelo Imperador; O Estado adotava o catolicismo apostólico romano como religião oficial e o voto era secreto

Entre as causas da abdicação do trono por parte de D. Pedro I, está: Entre as causas da abdicação do trono por parte de D. Pedro I, está:

  • a crise de legitimidade pelo não uso do Poder Moderador.
  • crise financeira e política
  • o processo de Impeachment protocolado por senadores da época.
  • revoltas locais, como Revolução Farroupilha.

O Período Regencial (1831-1840) foi marcado por uma série de revoltas em vários pontos do Brasil. Sobre as revoltas ocorridas no Período Regencial, indique qual das alternativas abaixo está correta: O Período Regencial (1831-1840) foi marcado por uma série de revoltas em vários pontos do Brasil. Sobre as revoltas ocorridas no Período Regencial, indique qual das alternativas abaixo está correta:

  • Cabanagem, Revolta dos Farrapos. Inconfidência Mineira, Balaiada, Sabinada, Abolição
  • Balaiada, Sabinada, Revolução Farroupilha, Revolta dos Balês, Cabanagem, Conjuração Baiana
  • Balaiada, Sabinada, Inconfidência Mineira e Cabanagem
  • Balaiada, Sabinada, Revolução Farroupilha, Revolta dos Malês, Cabanagem

Do ponto de vista político, podemos considerar o Período Regencial como: Do ponto de vista político, podemos considerar o Período Regencial como:

  • uma fase extremamente agitada com crises e revoltas em várias províncias, geradas pelas contradições das elites, classe média e camadas populares;
  • uma época conturbada politicamente, embora sem lutas separatistas que comprometessem a unidade do país;
  • uma transição para o regime republicano que se instalou no país a partir de 1840;
  • uma etapa marcada pela estabilidade política, já que a oposição ao Imperador Pedro I aproximou os vários segmentos sociais, facilitando as alianças na Regência.

O Golpe da Maioridade, que colocou Pedro II no trono em 1840, representou: O Golpe da Maioridade, que colocou Pedro II no trono em 1840, representou:

  • a vitória dos liberais, que retornaram ao governo, convidados para formar o primeiro ministério do Segundo Reinado.
  • o enfraquecimento do regime monárquico e o crescimento do republicanismo.
  • o declínio da aristocracia rural, já que o novo governo não apoiava a manutenção de seus privilégios.
  • O fim da escravidão e da exploração dos trabalhadores rurais

O Golpe da Maioridade, datado de julho de 1840 e que elevou D. Pedro II a imperador do Brasil, foi justificado como sendo: O Golpe da Maioridade, datado de julho de 1840 e que elevou D. Pedro II a imperador do Brasil, foi justificado como sendo:

  • o único caminho para que o país alcançasse novo patamar de desenvolvimento industrial
  • uma estratégia para manter a unidade nacional, abalada pelas sucessivas rebeliões provinciais;
  • a forma mais viável para o governo aceitar a proclamação da República e a abolição da escravidão;
  • uma estratégia para impedir a instalação de um governo ditatorial e simpatizante do socialismo utópico.

Além de pertencer, por herança, à casa de Bragança, família aristocrática portuguesa da linhagem de João VI, Dom Pedro II também tinha o sangue aristocrático da: Além de pertencer, por herança, à casa de Bragança, família aristocrática portuguesa da linhagem de João VI, Dom Pedro II também tinha o sangue aristocrático da:

  • Casa de Richtohfen
  • Casa de Hanover
  • Casa de Habsburgo
  • Casa de Hohestaufen

Durante o Segundo Reinado, com a consolidação de um projeto político nacional, após os conturbados anos da década de 30 do século XIX, o Brasil ampliou sua projeção externa e esteve envolvido em várias questões importantes no plano internacional, principalmente na região da Bacia do Prata. Sobre a política externa do Segundo Reinado para essa região, é correto afirmar: Durante o Segundo Reinado, com a consolidação de um projeto político nacional, após os conturbados anos da década de 30 do século XIX, o Brasil ampliou sua projeção externa e esteve envolvido em várias questões importantes no plano internacional, principalmente na região da Bacia do Prata. Sobre a política externa do Segundo Reinado para essa região, é correto afirmar:

  • O Brasil subjugou a Argentina na guerra contra o Aguirre.
  • Foi celebrada uma aliança com o Paraguai para conter a expansão uruguaia.
  • Foi criada a Tríplice Aliança contra o Paraguai.
  • O Brasil promoveu paz na região.

Durante a segunda metade do século XIX, o Brasil experimentou um progresso jamais visto, quando houve a expansão da economia brasileira, apoiada pelo imperador D. Pedro II. Podem-se citar como razões desse progresso: Durante a segunda metade do século XIX, o Brasil experimentou um progresso jamais visto, quando houve a expansão da economia brasileira, apoiada pelo imperador D. Pedro II. Podem-se citar como razões desse progresso:

  • a expansão da lavoura de soja, a conquista amazônica e a implantação de linhas férreas, como símbolo de progresso
  • a solidificação do tráfico negreiro e os maciços investimentos do capital alemão.
  • a expansão da lavoura cafeeira e a implantação do sistema ferroviário, a introdução do trabalho livre do imigrante e o crescimento urbano.
  • o fim da escravidão, a implementação do sistema de eleições diretas

No século XIX, a imigração europeia para o Brasil foi um processo ligado: No século XIX, a imigração europeia para o Brasil foi um processo ligado:

  • a uma política organizada pelos abolicionistas para substituir paulatinamente a mão de obra escrava das regiões cafeeiras e evitar a escravização em novas áreas de povoamento no sul do país.
  • a uma política oficial e deliberada de povoamento, desejosa de fixar contingentes brancos em áreas estratégicas e atender grupos de proprietários na obtenção de mão de obra.
  • às políticas militares, estabelecidas desde D. João VI, para a ocupação das fronteiras do sul e para a constituição de propriedades de criação de gado destinadas à exportação de charque.
  • à política do partido liberal para atrair novos grupos europeus para as áreas agrícolas e implantar um meio alternativo de produção, baseado em minifúndios.
Resultado Refazer
x / 18

Resultado

Sempre é necessário estudar mais!

Compartilhar

Calculando Resultado
clock redo facebook twitter whatsapp search x home profile pencil logout quiz list test user star