Criar Quiz
Criar Quiz
Um amigo lá de baixo... (1/?) RPG

Um amigo lá de baixo... (1/?) RPG

Tags : pov Demonio Fantasia magia Quiz RPG

Você é uma menina de 15 anos, com uma vida meio difícil. Após um acontecimento chocante o destino te ajuda com uma reviravolta de outro mundo. Nessa primeira parte, você vai descobrir como você conheceu o seu novo 'amigo'.

Comentem se vocês quiserem uma parte 2 logo!

Iniciar o Quiz
Incorporar
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16

Você é uma garota, filha unica de uma mãe abandonada pelo marido. Vocês duas vivem em uma pequena cidade calma, onde todos conhecem todos. Como você se parece? Você é uma garota, filha unica de uma mãe abandonada pelo marido. Vocês duas vivem em uma pequena cidade calma, onde todos conhecem todos. Como você se parece?

  • Uma pessoa simples, com cabelo de cor natural, sem piercings ou coisas parecidas. Um lobo com pele de cordeiro...
    Uma pessoa simples, com cabelo de cor natural, sem piercings ou coisas parecidas. Um lobo com pele de cordeiro...
  • Uma pessoa mais 'estranha', com cabelo de uma cor que eu goste (sendo chamativa ou não), alguns piercieng e talez até uma tattoo. Não vou me esconder de ninguém!
    Uma pessoa mais 'estranha', com cabelo de uma cor que eu goste (sendo chamativa ou não), alguns piercieng e talez até uma tattoo. Não vou me esconder de ninguém!
  • Uma mistura dos dois! Com cabelos que podem ou não ser pintados e com alguns piercing ou tattoos pequenas. Meu estilo.
    Uma mistura dos dois! Com cabelos que podem ou não ser pintados e com alguns piercing ou tattoos pequenas. Meu estilo.

Você já tem uma rotina do seu dia a dia, e ser constantemente criticada e mal tratada por todos (exceto sua mãe) já esta incluida nela.... Você vive em um pequeno chalé com a sua mãe, como ele se parece?

  • Uma casa simples, meio antiga, mas confortável. Em algum lugar não muito longe e não muito perto de todos os lugares.
    Uma casa simples, meio antiga, mas confortável. Em algum lugar não muito longe e não muito perto de todos os lugares.
  • Uma casa média, mais elaborada e nova. Perto de um lago e de uma floresta, longe de muita coisa, mas te da muita privacidade.
    Uma casa média, mais elaborada e nova. Perto de um lago e de uma floresta, longe de muita coisa, mas te da muita privacidade.
  • Uma casa grande e simples, uma fazenda! Um lugar perto da sua cidade e aberto para a luz do dia.
    Uma casa grande e simples, uma fazenda! Um lugar perto da sua cidade e aberto para a luz do dia.
  • Uma casa simples e pequena, bem rústica, perto de uma clareira. Perto dos limites da cidade, um lugar tranquilo.
    Uma casa simples e pequena, bem rústica, perto de uma clareira. Perto dos limites da cidade, um lugar tranquilo.
  • Uma casa pequena, mas elaborada, perto de tudo na cidade.
    Uma casa pequena, mas elaborada, perto de tudo na cidade.

Você acorda com um raio de luz em seus olhos. Você se levanta e da uma olhada no seu quarto pela manhã. Como o seu quarto é?

  • Fofo, mas rústico
    Fofo, mas rústico
  • Algo simples, mas com estilo
    Algo simples, mas com estilo
  • Uma mistura de moderno, rústico e meu estilo
    Uma mistura de moderno, rústico e meu estilo
  • Algo moderno, mas simples
    Algo moderno, mas simples
  • Algo moderno e luxuoso, com designes e tudo mais
    Algo moderno e luxuoso, com designes e tudo mais

Após olhar atentamente para o seu quarto, você se levanta e vai para o seu banheiro, para se arrumar para a escola. Como é o seu banheiro?

  • Algo simples, mas moderno
    Algo simples, mas moderno
  • Algo rústico, mas confortante
    Algo rústico, mas confortante
  • Algo moderno e luxuoso
    Algo moderno e luxuoso
  • Algo fofo e confortavel
    Algo fofo e confortavel
  • Algo moderno, mas rústico e unico
    Algo moderno, mas rústico e unico

Você saiu do banho e ouviu sua mãe gritar:
- Filha! O café da manhã já ta pronto! Eu deixei o seu uniforme na sua cama!
Você agradece a sua mãe e vai colocar seu uniforme. Como é o seu uniforme?

Ao descer o cheiro maravilhoso do seu café da manhã favorito invade o ar. Você vai para a cozinha e sua mãe fala:
- Bom dia (seu nome)! Tome logo seu café e saia, pois Emily vai chegar daqui a pouco.
Você obedeceu ela e se sentou para comer. Emily era sua melhor amiga desde a infância, você eram inseparáveis! Você acabou o seu café deu um beijo na sua mãe e pogou sua mochila para ir para a escola. Assim que abriu a porta, Emily já estava te esperando. Ela te oferece um sorriso e vocês começam a caminhar para a escola. Como Emily se parece?

Ao chegar na escola sua melhor amiga fala:
- AH! Esqueci de te falar. Hoje a noite eu vou te dar uma festa!
Você sempre foi uma pessoa mais introvertida e tímida ao redor dos outros, e não gostava tanto assim de festas, então olhou estranhamente para a sua amiga que completou:
- Hoje faz 13 anos que nos conhecemos! Além do mais, você precisa socializar mais!
Sua amiga te da um empurrão brincalhão, esperando por uma resposta. Oque você diz?

  • Eu penso um pouco, pois afinal não gosto tanto assim de festas, mas no final acabo sedendo, pois é uma data muito importante para nós!
  • Eu não penso duas vezes antes de dizer sim! A minha melhor amiga se deu o trabalho de fazer uma festa para mim e eu vou valoriza-lo.
  • Eu penso bastante, mas acabo sedendo. *Ela ta certa, eu preciso sociaizar um pouco mais* você pensa. *Além disso, é uma festa para nós*
  • Você diz não severas vezes antes de seder a sua melhor amiga
  • Você disse que ia pensar e depois daria a resposta para ela ¨A resposta foi SIM¨

A caminho do seu armário, você percebe que suas três valentonas estão no corredor. O clássico caso das patricinhas. A cabeça de todas, Clare; Seu braço direito, Marie; E a fofoqueira, Rachel. Todo santo dia, não importa onde e não importa quando elas dão um jeito de infernizar a sua vida. Você passa conversando com Emily, rezando para que elas te ignorem, mas elas não te deixam passar. Emily passou reto, sem perceber que elas tinham parado você. *Ótimo* você pensa, encurralada pelas três. Elas começas a te impurrar e a dizer coisas nada legais para você. Como você reagi?

  • Você mantém a cabeça baixa, olhando pro chão e tentando não chorar, enquanto engole tudo aquilo. Afinal, elas vencem se elas consiguirem te atingir.
  • Dane-se se elas vencem ou não, eu saio correndo chorando, sem nem olhar para as risadas atras de mim.
  • Eu revido, empurrando Clare para me dar espeço pra passar. Não tenho tempo para isso hoje.
  • Eu fico quieta, com o queixo erguido enquanto elas continuam a me empurrar. Eu só insisto em passar...
  • Eu grito por ajuda, até que alguém realmente venha, ou que elas desistam de mim. Qualquer um dos dois vai ser bom...

O dia vai passando, e a hora do almoço chega. Você procura Emily para comerem juntas:
- Ei Mily!- ela se vira para você- Quer comer juntas?
Emily te olha com uma cara de pena e diz:
- Hoje eu não posso (nome).... Eu tenho que... Que.... Fazer uma coisa importante. Tchau!
Ela estava muito estranha, mas você não se importou muito com isso. Agora você precisava encontrar um lugar para comer. Você tem algumas opções e tem que escolher entre....

  • Comer no refeitório, com uma galera que te da uns olhares estranhos...
    Comer no refeitório, com uma galera que te da uns olhares estranhos...
  • Comer no jardim, como algumas pessoas fazem...
    Comer no jardim, como algumas pessoas fazem...
  • Comer na biblioteca, onde tem silêncio e muitas poucas pessoas estão lá...
    Comer na biblioteca, onde tem silêncio e muitas poucas pessoas estão lá...
  • Comer na 'Floresta Negra', pois lá não vai ter inguém e você vai ter paz....
    Comer na 'Floresta Negra', pois lá não vai ter inguém e você vai ter paz....
  • Comer no banheiro....
    Comer no banheiro....

Finalmente o dia escolar acabou. Você pega e o seu celular e percebe que Emily te mandou mensagem!
'VENHA PRA MINHA CASA AS 23H, COM UMA ROUPA BONITA'
Você olhou o horário. 16h. *Eu ainda tenho tempo para a festa* você refletiu *O que eu posso fazer?*
Você decide voltar para casa e se trocar. Quando você chega, você ja sabe o que vai fazer e o que vai vestir.

  • Eu vou para a Floresta Negra, explorar um pouco
    Eu vou para a Floresta Negra, explorar um pouco
  • Eu vou tirar um cochilo até a hora da festa
    Eu vou tirar um cochilo até a hora da festa
  • Eu vou ler um livro e estudar um pouco
    Eu vou ler um livro e estudar um pouco
  • Eu vou me fazer um chá e ficar de olho no céu... talvez eu desenhe
    Eu vou me fazer um chá e ficar de olho no céu... talvez eu desenhe
  • Eu vou ficar em casa e assistir uma série
    Eu vou ficar em casa e assistir uma série

O tempo passou mais rápido do que você achava, e quando olhou pro relógio já eram 21h. Você então começou a se arrumar. Você comeu alguma coisa, tomou um banho e quando saiu se deparou com todas as roupas do seu armário e teve que decidir que roupa usar.
*Emily me disse para usar algo chique, então...*

Após escolher o seu vestido, você passa para o cabelo:

Depois foi para a Make

Para os sapatos.

Sua mãe não estava em casa, pois tinha uma festa para ir. Você apagou todas as luzes de sua casa e foi andando sozinha para a casa de sua amiga. O vento da noite congelante te fez questionar se você deveria levar um casaco ou não, mas achou desnecessário. A luz da Lua iluminava todas as casas, muitas já apagadas. A casa de Emily não era tão longe da sua, então dava para escutar nitidamente a música alta e as luzes brilhando contra a Lua. Você pegou o seu celular. Já estava meia hora atrasada, e para melhorar a sua bateria estava em 20%. Você se apressou para a casa de sua amiga. Quando chegou lá, todos os olhos cairam sobre você. De fato era uma festa chique, mas ninguem estava tão radiante como você estava. Você encontrou sua melhor amiga conversando com um bando de meninas. Você não prestou atenção nos rostos ao abraçar sua melhor amiga.
-Ai está você!- disse Emily em um tom brincalhão- Vem eu preciso fazer uma coisa com você
Ela começou a me puxar enquanto subia em um palco.

  • ---------->
  • ---------->

- Queridas pessoas que estão hoje reunidas- Emily começou em um tom engraçado que arrancou uma gargalhada das pessoas da festa- Estamos hoje reunidos para celebrar 13 anos de risadas- ela disse rindo- 13 anos de segredos- ela começou a olhar para o grupo de meninas que ela conversava, elas estavam gargalhando- e 13 anos de mentiras- agora todos estavam rindo junto, de uma piada que você não enxergava.
Você olhou confusa para sua melhor amiga que agora estava de frente para você:
- Muito obrigada pelos melhores anos da minha vida, por me dar tantas risadas que eu nunca vou esquecer- apesar das palavras serem fofas, o tom dela não indicava nada além de maldade- A cada segredo que você me contava e que MINHAS MELHORES AMIGAS e eu rimos- eu olhei para o grupo de meninas, agora era claro quem eram. Clare, Marie e Rachel riam da minha cara com o resto da multidão
- O que?- você perguntou esperando que aquilo não passasse de um pesadelo
Emily riu com deboche enquanto dizia:
- Você não achou que alguém realmente seria sua melhor amiga, achou?- ela gargalhou junto com todos da festa- Quem você acha que contava todos os seus segredos para a Rachel? Como você achava que as pessoas sabiam exatamente aquilo que você me contava no da seguinte?- ela gargalhou denovo- Você é tão ingênua e tão facil de manipular- as suas lágrimas brotaram mesmo quando você tentou as impedir- Ah é! Esqueci que a chorona ia dar esse show!- Ela se afastou enquanto dava um asceno de cabeça para alguém- Vai ficar molhadinha.
Você olhou para o alto no exato momento em que um balde de água derramou o conteúdo em você. Você se virou para Emily e disse:

  • - Eu achava que eu podia confiar em você!- você berrou entre as risadas da multidão- Esses anos não significaram nada para você? Clare respondeu pela amiga: - Coitadinha, ainda acha que teve uma amiga! HAHAHA
  • - Eu te odeio Emily! Você me deu uma facada nas costas e acha que vai ficar impune?!- um ódio surgiu dentro de você quando berrou- TODOS VOCÊS VÃO PAGAR POR ISSO!
  • -NÓS ERAMOS AMIGAS! EU TE CONSIDERAVA UMA IRMÃ!- você soluçou Ela deu de ombros enquanto ria de você
  • - Nada mais me importa agora- você sussurou por entre os dentes- Você era a única que me deixava em pé, e agora você me jogou no chão. Eu fui de fato uma tonta por confiar em você.
  • -Você...- você perdeu o folego e não pensou em mais nada além de correr
Um encontro Refazer

Um encontro

Logo após o ocorrido você correu para a Floresta Negra, sem olhar para trás e ignorando qualquer coisa. Você nunca tinha chegado tão fundo quanto estava agora e não fazia a mínima ideia de onde era a saída. Você pegou o seu celular na esperança de chamar por ajudar, mas só teve tempo de ver que horas eram antes de sua bateria acabar.
*Meia-noite* você pensou no momento em que a tela preta tomou seu celular *Nem sei se quero realmente ver alguém agora... *você se sentou ao pé de uma árvore *Nem sei se alguém quer me ver agora*
Você só percebe que está chorando quando as gotas quentes molham a sua bochecha. Você estava sozinha em uma floresta logo depois do acontecido na festa, só sentindo o vento uivar e chaqualhar os galhos das árvores. Isso até o memento que você viu uma silhueta através da névoa da meia noite. Você imediatamente subiu no galho da árvore mais próxima ao ver que a figura se aproximava, os sapatos quebrando os galhos e as folhas secas sob os pés. A figura para exatamente em baixo de seu galho, e sem levantar os olhos apenas diz:
- Boa noite, querida!

Parte 2 logo logo

Compartilhar

Um Presente Refazer

Um Presente

Quando você corria para fora da festa, percebeu que estava chorando. Apesar do desejo de desaparecer, você não conseguiu ir para muito longe, e acabou encostada em um poste no meio da rua. Depois de um longo momento, percebeu que estava sendo seguida. Um lampejo de esperança acendeu em seu coração ao achar que sua 'melhor amiga' fora atrás de você, mas seu coração gelou ao ver uma pobre velha inocente te encarar do outro lado da rua. Ela te da um sorriso doce e atravessa a rua com uma graça sobrenatural. Ao parar do seu lado, ela limpa suas lágrimas enquanto pergunta:
- O que te aconteceu minha bela flor? Por que está chorando tanto?
Inspirando, e fazendo o possível para não soluçar, você conta sua história para a estranha, que pacientemente te escuta.
Após uma longa pausa, a idosa procura algo em seu bolso enquanto diz:
- Você já sofrera o suficiente, minha jovem, e desejo te ajudar!- ela retira um lindo colar de ouro bolso- Por isso te darei isso. Se aceitar usa-lo...- ela fez uma pausa considerando se devia realmente te dar o colar. Por um minuto na luz do poste o dragão parecia se mover.- Se você aceitar usa-lo terá um amigo até o fim de seus dias. Um amigo, protetor e parceiro. Mais confiável que qualquer amizade! Mas estará tão presa a ele, quanto ele a você. Você aceita?
Você olha para o colar, aquela pequana lua te chamando mais para perto. Você olha para a idosa, com olhos famintos por uma resposta. *Eu não tenho nada a perder* você refletiu *E certamente tudo a ganhar*
Com apenas um aceno de cabeça, você deixou a mulher sabendo de sua escolha. As mãos tremulas daquela doce figura envolveram o colar em seu pescoço enquanto te dava instruções:
- Ele pode ser um pouco debochado ás vezes, mas é um bom parceiro- ela disse com a voz rouca atras de si- e adora fazer uma entrada elegante.
A idosa prendeu o ccolar e antes que você pudesse se virar ela disse:
- Adeus e boa sorte, minha criança!
Você se virou e ela se foi, deixando para trás apenas o cheiro de rosas e canela. Não. Aquele cheiro não era dela. Um pouco atrás de onde a velha estava a segundos antes estava uma figura fazendo uma reverência muito exagerada e dramática. Você se assustou e deu um salto para trás colidindo com o poste. A criatura a frente deu uma gargalhada e olhando em seus olhos apenas disse sarcasticamente:
- Espero não te-la assustado, minha senhora. Ah- ele completou refazendo a reverência brincalhona- uma Boa Noite!

Parte 2 logo logo

Compartilhar

As Lágrimas Refazer

As Lágrimas

Você corre o mais rápido que suas pernas te permitem, com a mente correndo mais rápido ainda. Você não sabia aonde estava indo, mas não se importava, nem um pouco. Você apenas parou quando chegouá um portão inferrujado da pequena mansão da cidade. Todos sabiam que aquele lugar era abanonado e recluso, por isso não pensou duas vezes antes de entrar pelos jardins da casa. O silêncio mórbido te deu arrepios, mas você os ignorou e seguiu em frente, lágrimas desbotando dos olhos. Apesar de ter uma sensação estranha sobre o lugar, você também se sentia segura ali. Você se sentou em um velho balanço, quase aos pedaços, quando o frio da meia noite ultrapassou suas roupas molhadas. Você soluçava e se repreendia por todas as escolhas que tinha feito, pois pareciam todas erradas agora. Você parou para ter o rosto acariciado com o vento que agora se tornava uma brisa quente com um cheiro de rosas e canela. Apenas nesse momento escutou pequenos soluços vindos de alguma parte daquele grande jardim. Você se levantou sobressaltada, mas ao mesmo tempo preocupada. Você limpou suas lágrimas enquanto procurava a pessoa da qual chorava. Ao andar um pouco pelo jardim, você descobriu que o choro vinha da exuberante fonte de água perto daquele pequeno castelo. Ao se aproximar viu uma criatura sentada no chão, chorando e soluçando.
- Você está bem?- você perguntou para a estranha figura, que se levantou ao ouvir sua voz
A figura era estranha e tinha os olhos inchados. O brilho que lhe percorria o olhar era de tristeza, dor e... compreensão.
- Pelo visto eu não sou o único aqui que vem para chorar- ele disse, indicando com os dedos os seus olhos vermelhos e inchados. Ele se limpou e ajeitou a jaqueta antes de me encarar e dizer:
- Boa noite!- foi o unico cumprimento que tivemos

Parte 2 logo logo

Compartilhar

O Assassino Refazer

O Assassino

Você não pensou duas vezes antes de sair correndo pelas ruas, enquanto chorava por vários sentimentos misturados. Em pouco tempo você chega a porta de sua casa, limpando as lágrimas ao entrar. Você observou atentamente ao seu redor, e percebeu que sua mãe ainda não havia voltado da festa dela. Você colocou um roupão básico, apenas para que você conseguisse tomar um ar. Ao sair para a sacada de seu quarto e pensar em tudo que aconteceu naquela noite, e durante as semanas, foi impossível parar as lágrimas. Em pouco tempo você estava no chão, chorando até soluçar. Sua visão começou a ficar turva, mas você só se estremesseu ao som grave de uma das sombras:
- Ainda nem chegar a encostar um dedo em você, e já está chorando?- disse uma figura, com um deboche impressionante, agora emergindo das sombras.
- O meu dia foi pior do que o esperado...- você adimitiu ao estranho. Após uma longa pausa você acrescentou mais para si do que para a figura agora atrás de você: - Se veio me matra, faça-o rápido....
A criatura atrás riu com um deboche elegante. Quando parou, já estava a sua frente com uma mão lhe oferecendo ajuda para se levantar, enquanto apenas dizia:
- Bom agora não é mais tão divertido!- ele sorriu elgantemente enquanto limpava as lágrimas do meu rosto, permitindo a brisa da mia noite entrar em meus poros. Quando se certificou de que você estava (aos seus limites) bem, se afastou e fez uma reverência sutil ao dizer entre os sussurros do vento:
- Boa Noite, chorona.

Parte 2 logo logo

Compartilhar

O Pacto Refazer

O Pacto

O ódio e a tristeza invadiram as suas veias enquanto corria para longe daquele lugar. Não sabia para onde estava indo, mas sabia que era longe o suficiente para o que achava necessário fazer. Quando chegou a porta de um cemitério, não pensou duas vezes antes de tirar os sapatos e as joias, prender o cabelo e o vestido e atravessar em direção das lapides. Um olhar rápido para a Lua cheia ao topo de sua cabeça foi a confirmação suficiente: era meia-noite. Os cabelos restantes em seu rosto balançavam conforme a suave caricia do vento da meia noite. As lágrimas e o ódio eram as unicas coisas quentes o suficiente para te aquecer contra aquela brisa. Você finalmente chegou ao meio do cemitério, a uma estatua antiga e já desgastada de um dragão potente observando a lua. Não pensou duas vezes antes de pegar o barro do chão e traçar as linhas que se lembrava de um livro...
Conforme traçava aquelas linhas complexas no chão o livro foi ficando mais nitido, como se a Lua o iluminasse em sua cabeça. Uma antiga obceção de alguns anos atrás da qual achava que não daria em nada mais. Após ter desenhado o circulo e suas linhas internas, recitou as palavras mentalmente enquanto derramava uma gota de seu sangue na estatueta. Não sabia se era impressão, mas teve quase certeza de que vira os olhos do drgão passarem de pedra para viperinos olhos vermelho-sangue. Fechou os olhos ao se lembrar do livro, do ódio, do ritual prestes a fazer. Em poucos instantes percebeu que não só o ódio queimava dentro de suas veias, não mais. Fogo chamuscava em torno da estatua da fera a sua frente, enquanto uma figura casualmente saia de dentro desta. Apesar de não parecer se importar com as chamas, a figura limpou uma brasa de seu casaco preto. O sorriso malicioso brilhou contra o fogo que agora se extinguia. Uma reverência casual e graciosa foi ofereceida, enquanto a figura dizia, pouco mais alto que um sussurro:
- Boa noite, minha senhora!

Parte 2 logo logo

Compartilhar

Calculando Resultado
clock facebook twitter whatsapp redo search x home profile pencil logout quiz list test user star