Criar Quiz
Criar Quiz
Publicidade
RPG - A invocadora de corvos [1]

RPG - A invocadora de corvos [1]

Tags : Garota dark CORVOS Poderes RPG

*Em um vilarejo afastado, onde o inverno parece não acabar, mora uma jovem, que após um incidente perturbador ocorrido na sua infância, ela descobre ter habilidades especiais. Porém, com a inesperada chegada de um rapaz de aparência incomum, que parece ter habilidades semelhantes a dela, mas para fins contrários, os gloriosos dias de caos da garota poderão chegar ao fim*

Iniciar o Quiz
Incorporar
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • Ad

DIA 06 DE JANEIRO DE 2009

O alto som dos trovões, daquela noite de chuva, causam medo á pequena garota de seis anos, que se encontra sozinha no quarto frio e escuro. Mas aquele som não é tão angustiante quanto os altos gritos de sua mãe, vindos do andar de baixo. Ela sabe que não deveria descer, mas um impulso á faz pensar que poderia acabar com aquilo. Ela desce correndo, mas seu corpo fica bambo ao pisar no penúltimo degrau. Ao ver a horrível cena, de sua mãe sendo espancada pelo pai, ele aperta os olhos desejando que, quando abrisse, aquela cena simplesmente, não estivesse acontecendo. E então, quando ela obre, ela vê uma preta pena caindo vagarosamente em sua frente, e ao focar o olhar mais á frente, ela vê, a mãe com as mãos ensanguentadas segurando uma faca e o pai no chão, sofrendo nos seus últimos segundos de vida. Ao longe se pode ouvir, o grasno de um corvo.

Ela veio a descobrir, mais tarde, que ao abrir seus olhos após realizar seu desejo, aqueles olhos azuis, se tornaram negros, e ao ouvir o corvo, eles voltaram ao normal... DIA 06 DE JANEIRO DE 2009

O alto som dos trovões, daquela noite de chuva, causam medo á pequena garota de seis anos, que se encontra sozinha no quarto frio e escuro. Mas aquele som não é tão angustiante quanto os altos gritos de sua mãe, vindos do andar de baixo. Ela sabe que não deveria descer, mas um impulso á faz pensar que poderia acabar com aquilo. Ela desce correndo, mas seu corpo fica bambo ao pisar no penúltimo degrau. Ao ver a horrível cena, de sua mãe sendo espancada pelo pai, ele aperta os olhos desejando que, quando abrisse, aquela cena simplesmente, não estivesse acontecendo. E então, quando ela obre, ela vê uma preta pena caindo vagarosamente em sua frente, e ao focar o olhar mais á frente, ela vê, a mãe com as mãos ensanguentadas segurando uma faca e o pai no chão, sofrendo nos seus últimos segundos de vida. Ao longe se pode ouvir, o grasno de um corvo.

Ela veio a descobrir, mais tarde, que ao abrir seus olhos após realizar seu desejo, aqueles olhos azuis, se tornaram negros, e ao ouvir o corvo, eles voltaram ao normal...

~HOJE EM DIA~

~06:00~

JESABEL(MÃE)- Acorda garota!! Todo dia eu tenho que ficar chamando nessa p****!!

Kira acorda de um susto. Ela passa as mãos com força nos olhos enquanto rosna, girando na cama. Anda sonolenta até o banheiro onde joga água gelada no rosto, para acordar de uma vez. Ela se olha no espelho e encara séria a si mesma, antes de forçar os curtos cabelos pra trás com a mão, como se ele fosse permanecer daquele jeito. Depois de fazer as necessidades básicas no banheiro, a garota abre o guarda roupa, quase que arrancando a porta. Com desgosto por ter acordado, ela veste uma de suas poucas opções de roupa. ~HOJE EM DIA~

~06:00~

JESABEL(MÃE)- Acorda garota!! Todo dia eu tenho que ficar chamando nessa p****!!

Kira acorda de um susto. Ela passa as mãos com força nos olhos enquanto rosna, girando na cama. Anda sonolenta até o banheiro onde joga água gelada no rosto, para acordar de uma vez. Ela se olha no espelho e encara séria a si mesma, antes de forçar os curtos cabelos pra trás com a mão, como se ele fosse permanecer daquele jeito. Depois de fazer as necessidades básicas no banheiro, a garota abre o guarda roupa, quase que arrancando a porta. Com desgosto por ter acordado, ela veste uma de suas poucas opções de roupa.

Para acompanhar, ela veste uma meia-calça com rasgos e um velho sapato, o único que ela tinha. Algo que ela nunca esquece é o pó preto que ela passa nas bordas dos olhos. Pega a bolsa, mesmo não sabendo se colocou os livros certos, e desce, procurando algo para comer. Lá em baixo ela vê a mãe, deitada no sofá, com o típico cigarro na mão.

(PARA REPRESENTAR O PENSAMENTO EU USAREI * OK)

KIRA- *Uma laranja?*Já devia ter saído pra comprar comida. Ou eu vou ter que caçar dinheiro pra não morrer de fome? De novo?

JESABEL(MÃE)- É pra isso que você serve, não? Aproveita e "caça" dinheiro pra comprar cigarro. Esses aqui estão acabando.

A garota sai batendo a porta com força. Ela sempre demonstra raiva á mãe, na verdade, é o único sentimento que ela sabe mostrar para qualquer pessoa. Andando por um caminho solitário na floresta, Kira vê corvos voando no céu, acima das árvores, eles parecem acompanhá-la de longe. São os únicos que ficam com ela por mais de dez minutos, que é o tempo que ela leva pra chegar na escola. Ao se aproximar do portão eles se dispersam. Todo mundo percebe isso, e por esse motivo não gostam da garota, acham ela esquisita e alguns até a conhecem como bruxa.

KIRA- *Droga, esqueci metade dos livros*

PROF- Cheguei, se sentem! Para a desgraça do coitado, temos um novo aluno!

Dois ou três alunos zombam. Mais da metade ficam curiosos, não é comum chegar ninguém por ali. E a outra parte da sala, não está nem aí, é o grupo que Kira faz parte. Independente da reação inicial de cada um, todos focam os olhares no garoto assim que ele entra na sala. Para acompanhar, ela veste uma meia-calça com rasgos e um velho sapato, o único que ela tinha. Algo que ela nunca esquece é o pó preto que ela passa nas bordas dos olhos. Pega a bolsa, mesmo não sabendo se colocou os livros certos, e desce, procurando algo para comer. Lá em baixo ela vê a mãe, deitada no sofá, com o típico cigarro na mão.

(PARA REPRESENTAR O PENSAMENTO EU USAREI * OK)

KIRA- *Uma laranja?*Já devia ter saído pra comprar comida. Ou eu vou ter que caçar dinheiro pra não morrer de fome? De novo?

JESABEL(MÃE)- É pra isso que você serve, não? Aproveita e "caça" dinheiro pra comprar cigarro. Esses aqui estão acabando.

A garota sai batendo a porta com força. Ela sempre demonstra raiva á mãe, na verdade, é o único sentimento que ela sabe mostrar para qualquer pessoa. Andando por um caminho solitário na floresta, Kira vê corvos voando no céu, acima das árvores, eles parecem acompanhá-la de longe. São os únicos que ficam com ela por mais de dez minutos, que é o tempo que ela leva pra chegar na escola. Ao se aproximar do portão eles se dispersam. Todo mundo percebe isso, e por esse motivo não gostam da garota, acham ela esquisita e alguns até a conhecem como bruxa.

KIRA- *Droga, esqueci metade dos livros*

PROF- Cheguei, se sentem! Para a desgraça do coitado, temos um novo aluno!

Dois ou três alunos zombam. Mais da metade ficam curiosos, não é comum chegar ninguém por ali. E a outra parte da sala, não está nem aí, é o grupo que Kira faz parte. Independente da reação inicial de cada um, todos focam os olhares no garoto assim que ele entra na sala.

Ele é muito branco! Mais do que o normal. O que leva os alunos á dúvidas como : O cabelo é pintado? Ele é albino? Ele usa lente? A resposta para essas perguntas é "Não".

ALUNONOVO- Oi...meu nome é Zander.

Em um instante a sala se enche de cochichos o que parece deixar o novato com vergonha.

PROF- Senta!

O menino anda lentamente até o meio da sala procurando uma cadeira e para ali, do lado de uma garota que não se preocupou em encará-lo, como o resto da turma, Kira.

Ele se senta e olha para ela, esperando que a veterana faça o mesmo, mas ao invés disso, ela suspira olhando pro lado contrário. Ele é muito branco! Mais do que o normal. O que leva os alunos á dúvidas como : O cabelo é pintado? Ele é albino? Ele usa lente? A resposta para essas perguntas é "Não".

ALUNONOVO- Oi...meu nome é Zander.

Em um instante a sala se enche de cochichos o que parece deixar o novato com vergonha.

PROF- Senta!

O menino anda lentamente até o meio da sala procurando uma cadeira e para ali, do lado de uma garota que não se preocupou em encará-lo, como o resto da turma, Kira.

Ele se senta e olha para ela, esperando que a veterana faça o mesmo, mas ao invés disso, ela suspira olhando pro lado contrário.

  • KIRA- *O branquelo não consegue ver que tem bancos com as duas vagas?*
  • KIRA- *Estou vendo que ele já pegou a mania do vilarejo de encarar.*

No intervalo, quando grande parte dos alunos saem para esticar as pernas, Kira por outro lado permanece sentada. Zander sai, mas para a infelicidade da menina, logo ele volta. Ele a observa girando a caneta entre os dedos, olhando para a folha, sem fazer nada.

ZANDER- Sem inspiração?

Kira o encara. Provavelmente ela sabe do que ele está falando, mas não faz a mínima ideia do porque ele falou.

KIRA- O que?

ZANDER- Você vai desenhar, não? Pelo menos é o que parecia!

KIRA- É mesmo? Bem...eu ía! Se você não ficasse me encarando que nem um esquisito! Fala sério! Nem as pessoas daqui são tão estranhas...

ZANDER- Ah...

Ele desvia o olhar meio sem jeito. Logo depois, o garoto pega um livro. Não foi preciso ver tudo, apenas o nome "Nárnia" no final do título entregava qual era o livro. Kira tentou desenhar algo, mas sua cabeça não funcionava muito bem com um estranho totalmente literal do lado. Mesmo que a ideia não parecesse boa, mas na verdade parecia bem boba, ela resolveu desenhar algo. Aos poucos ia se distinguindo o que era o desenho: uma pessoa! No intervalo, quando grande parte dos alunos saem para esticar as pernas, Kira por outro lado permanece sentada. Zander sai, mas para a infelicidade da menina, logo ele volta. Ele a observa girando a caneta entre os dedos, olhando para a folha, sem fazer nada.

ZANDER- Sem inspiração?

Kira o encara. Provavelmente ela sabe do que ele está falando, mas não faz a mínima ideia do porque ele falou.

KIRA- O que?

ZANDER- Você vai desenhar, não? Pelo menos é o que parecia!

KIRA- É mesmo? Bem...eu ía! Se você não ficasse me encarando que nem um esquisito! Fala sério! Nem as pessoas daqui são tão estranhas...

ZANDER- Ah...

Ele desvia o olhar meio sem jeito. Logo depois, o garoto pega um livro. Não foi preciso ver tudo, apenas o nome "Nárnia" no final do título entregava qual era o livro. Kira tentou desenhar algo, mas sua cabeça não funcionava muito bem com um estranho totalmente literal do lado. Mesmo que a ideia não parecesse boa, mas na verdade parecia bem boba, ela resolveu desenhar algo. Aos poucos ia se distinguindo o que era o desenho: uma pessoa!

MARA- Posso ver?

Uma menina da sala, a qual Kira já conhece muito bem, passa e pega a folha da mesa. Kira levanta e olha sério para a menina que pegou seu pertence.

MARA- É um garoto? (risadas falsas) Quem será o azarado?

LÍDIA- Você não imagina? (risadas falsas)

As duas amigas olham para o novato que está sentado na cadeira observando a cena.

MARA- Ai minha nossa senhora, como ela se apaixona rápido! (risadas falsas)

LÍDIA- Ou só está querendo dá! (risadas falsas)

Se tem uma coisa que Kira não controla nem faz questão, é a raiva! Ela sabe do que é capaz e não vai desperdiçar a oportunidade. Sua ação é rápida, impedindo que as pessoas ao redor decifrem o que aconteceu. A garota fecha os olhos e ao abri-los, se ouve o grasno do corvo que passa na janela lá fora. A inexplicável pena vai caindo, mais uma vez, diante de seus olhos e ela agarra para que ninguém veja. E dentro de quatro segundos, um garoto no fundo da sala, aparece atrás das duas amigas e coloca o dedo indicador entre as pernas delas. As duas se assustam, o que faz Mara soltar a folha para que Kira possa pegá-la. A confusão esperada acontece, porém é interrompida assim que o professor chega. Todos se sentam. Um satisfeito, outros não! MARA- Posso ver?

Uma menina da sala, a qual Kira já conhece muito bem, passa e pega a folha da mesa. Kira levanta e olha sério para a menina que pegou seu pertence.

MARA- É um garoto? (risadas falsas) Quem será o azarado?

LÍDIA- Você não imagina? (risadas falsas)

As duas amigas olham para o novato que está sentado na cadeira observando a cena.

MARA- Ai minha nossa senhora, como ela se apaixona rápido! (risadas falsas)

LÍDIA- Ou só está querendo dá! (risadas falsas)

Se tem uma coisa que Kira não controla nem faz questão, é a raiva! Ela sabe do que é capaz e não vai desperdiçar a oportunidade. Sua ação é rápida, impedindo que as pessoas ao redor decifrem o que aconteceu. A garota fecha os olhos e ao abri-los, se ouve o grasno do corvo que passa na janela lá fora. A inexplicável pena vai caindo, mais uma vez, diante de seus olhos e ela agarra para que ninguém veja. E dentro de quatro segundos, um garoto no fundo da sala, aparece atrás das duas amigas e coloca o dedo indicador entre as pernas delas. As duas se assustam, o que faz Mara soltar a folha para que Kira possa pegá-la. A confusão esperada acontece, porém é interrompida assim que o professor chega. Todos se sentam. Um satisfeito, outros não!

  • Mara
    Mara
  • Lídia
    Lídia

No final da aula, Kira vai direto para a saída, como sempre. Porém, neste dia, algo completamente diferente acontece antes que ela possa entrar no escuro caminho pela floresta.

ZANDER- Kira!

Ela olha pra trás mas não para. Ninguém chama ela, muito menos pelo nome. Continuar andando seria a opção mais normal. Para uma nova surpresa, o novato a acompanha.

ZANDER- Você fez aquilo né?

KIRA- *Do que ele tá falando? Do desenho? Do lance com o corvo?* Do que você tá falando?

ZANDER- Aquilo com as meninas. Foi você não foi?

Ela para e olha pra ele. *Como ele sabe? Ele viu? Quem é esse cara?* Perguntas e mais perguntas se passavam na cabeça da garota. Ela nunca parou pra pensar que descobririam o que ela pode fazer, e mesmo se descobrissem, ela não achou que iriam falar com ela.

KIRA- Vo-você...Quem é você?

ZANDER- Isso é um sim?

A menina revira os olhos e continua a andar. Evitá-lo pode ser a melhor opção.

ZANDER- Eu só queria saber porque...Eu também faço isso!

Ela para. Isso com certeza foi a maior surpresa do dia. Ou existe outra pessoa como ela ou esse garoto é um mentiroso. Apenas testando pra saber. Kira se volta pra ele.

KIRA- Ah é? Prova.

ZANDER- Na primeira oportunidade! Eu acho que não consigo fazer assim, aleatoriamente.

KIRA- (riso sarcástico) Você é um mentiroso!

ZANDER- Não sou um mentiroso! Eu vi seus olhos! Eu vi o corvo! Eu vi o que você fez! Alguém mais viu nesses anos todos? Eu acho que não!

KIRA- Ah, parece que você viu muitas coisas, mas eu não estou vendo nada! Se você tem a mesma habilidade, me prova!

Ele parece pensar um pouco até que joga a bolsa no chão. Zander fecha os olhos enquanto ela observa atentamente. Assim que ele abre, dezenas de penas brancas e amareladas caem ao seu redor. Kira olha pra cima para ver de onde surgiram e vê um trio de corujas circulando o menino do céu. Ele abre os olhos, que se tornaram da cor das penas, até o chirriar de uma coruja ser ouvido, antes delas irem embora. No final da aula, Kira vai direto para a saída, como sempre. Porém, neste dia, algo completamente diferente acontece antes que ela possa entrar no escuro caminho pela floresta.

ZANDER- Kira!

Ela olha pra trás mas não para. Ninguém chama ela, muito menos pelo nome. Continuar andando seria a opção mais normal. Para uma nova surpresa, o novato a acompanha.

ZANDER- Você fez aquilo né?

KIRA- *Do que ele tá falando? Do desenho? Do lance com o corvo?* Do que você tá falando?

ZANDER- Aquilo com as meninas. Foi você não foi?

Ela para e olha pra ele. *Como ele sabe? Ele viu? Quem é esse cara?* Perguntas e mais perguntas se passavam na cabeça da garota. Ela nunca parou pra pensar que descobririam o que ela pode fazer, e mesmo se descobrissem, ela não achou que iriam falar com ela.

KIRA- Vo-você...Quem é você?

ZANDER- Isso é um sim?

A menina revira os olhos e continua a andar. Evitá-lo pode ser a melhor opção.

ZANDER- Eu só queria saber porque...Eu também faço isso!

Ela para. Isso com certeza foi a maior surpresa do dia. Ou existe outra pessoa como ela ou esse garoto é um mentiroso. Apenas testando pra saber. Kira se volta pra ele.

KIRA- Ah é? Prova.

ZANDER- Na primeira oportunidade! Eu acho que não consigo fazer assim, aleatoriamente.

KIRA- (riso sarcástico) Você é um mentiroso!

ZANDER- Não sou um mentiroso! Eu vi seus olhos! Eu vi o corvo! Eu vi o que você fez! Alguém mais viu nesses anos todos? Eu acho que não!

KIRA- Ah, parece que você viu muitas coisas, mas eu não estou vendo nada! Se você tem a mesma habilidade, me prova!

Ele parece pensar um pouco até que joga a bolsa no chão. Zander fecha os olhos enquanto ela observa atentamente. Assim que ele abre, dezenas de penas brancas e amareladas caem ao seu redor. Kira olha pra cima para ver de onde surgiram e vê um trio de corujas circulando o menino do céu. Ele abre os olhos, que se tornaram da cor das penas, até o chirriar de uma coruja ser ouvido, antes delas irem embora.

Ela poderia falar um monte de outras coisas, mas sua decisão final foi:

KIRA- Eu não sabia que tinham corujas aqui!

ZANDER- Elas vieram comigo.

KIRA- Nossa...*O que ele faz é incrível, talvez até melhor que eu!* Então você fica na sua e eu fico na minha, fui!

ZANDER- Espera aí! Eu nunca achei ninguém com o mesmo poder que eu! Não podemos ser-

KIRA- O que? Parceira da vilania? Quer dominar o mundo? É um bom sonho, mas muito difícil então, boa sorte!

Ela vai embora. Idaí se ele é como ela. Talvez isso não seja uma vantagem. Ela gostava de ser única!

KIRA- Mãe? Mãe?

MÃE- O que você quer garota!?

KIRA- *Saber se está viva!* Comprou alguma coisa pra comer?

MÃE- Você disse que ia caçar, então volte e faça seu trabalho!

A garota sai irritada mais uma vez. Ela caminha até o mercadinho da cidade, lugar que ela não gostava de ir. Observando tudo que poderia conseguir levar, a menina espera o momento perfeito para fazer uma vítima. Uma senhora rabugenta que acaba de entrar não parece a melhor opção mas é a única por enquanto. Na sua rápida ação, Kira consegue fazer com que a velha pegue algo e saia da loja apressada, sem pagar. Resumindo, um roubo. O vendedor se distrai com a senhora, o que dá tempo para Kira fugir com as "compras" desejadas. O corvo a acompanha e a garota tenta espantá-lo para que ninguém perceba e ele só sai quando a menina esbarra em alguém.

ZANDER- Porque a pressa?

KIRA- Vaza!

O menino percebe a confusão no mercadinho mais atrás.

ZANDER- O que você fez?

KIRA- Eu disse vaza!

Ao invés de ficar lá e discutir algo inútil, Kira desvia o caminho e passa pelo garoto que a atrapalhava.

ZANDER- Está roubando?

KIRA- Me deixa em paz!

ZANDER- É pra isso que você usa suas incríveis habilidades!?

KIRA- Não achou que eu ia ser a super heroína do vilarejo, achou?

Ele se coloca na frente, impedindo ela de passar, de novo.

ZANDER- Eu compro pra você. Ela poderia falar um monte de outras coisas, mas sua decisão final foi:

KIRA- Eu não sabia que tinham corujas aqui!

ZANDER- Elas vieram comigo.

KIRA- Nossa...*O que ele faz é incrível, talvez até melhor que eu!* Então você fica na sua e eu fico na minha, fui!

ZANDER- Espera aí! Eu nunca achei ninguém com o mesmo poder que eu! Não podemos ser-

KIRA- O que? Parceira da vilania? Quer dominar o mundo? É um bom sonho, mas muito difícil então, boa sorte!

Ela vai embora. Idaí se ele é como ela. Talvez isso não seja uma vantagem. Ela gostava de ser única!

KIRA- Mãe? Mãe?

MÃE- O que você quer garota!?

KIRA- *Saber se está viva!* Comprou alguma coisa pra comer?

MÃE- Você disse que ia caçar, então volte e faça seu trabalho!

A garota sai irritada mais uma vez. Ela caminha até o mercadinho da cidade, lugar que ela não gostava de ir. Observando tudo que poderia conseguir levar, a menina espera o momento perfeito para fazer uma vítima. Uma senhora rabugenta que acaba de entrar não parece a melhor opção mas é a única por enquanto. Na sua rápida ação, Kira consegue fazer com que a velha pegue algo e saia da loja apressada, sem pagar. Resumindo, um roubo. O vendedor se distrai com a senhora, o que dá tempo para Kira fugir com as "compras" desejadas. O corvo a acompanha e a garota tenta espantá-lo para que ninguém perceba e ele só sai quando a menina esbarra em alguém.

ZANDER- Porque a pressa?

KIRA- Vaza!

O menino percebe a confusão no mercadinho mais atrás.

ZANDER- O que você fez?

KIRA- Eu disse vaza!

Ao invés de ficar lá e discutir algo inútil, Kira desvia o caminho e passa pelo garoto que a atrapalhava.

ZANDER- Está roubando?

KIRA- Me deixa em paz!

ZANDER- É pra isso que você usa suas incríveis habilidades!?

KIRA- Não achou que eu ia ser a super heroína do vilarejo, achou?

Ele se coloca na frente, impedindo ela de passar, de novo.

ZANDER- Eu compro pra você.

  • KIRA- Eu não preciso de nada de você, p****!
  • KIRA- Vai se f****!
  • Mostrar o dedo do meio.

Ela está á alguns passos de distância, quando ouve aquele som que ouvira mais cedo. O "Uh" de uma coruja. Nesse momento a garota começou a se arrepender do que acabara de fazer, então ela volta para o recém chegado e lhe estende o braço com a mercadoria roubada, porém antes que ele pegue ela recolhe os braços de novo. Kira acabara de entender o que estava acontecendo. Ela está á alguns passos de distância, quando ouve aquele som que ouvira mais cedo. O "Uh" de uma coruja. Nesse momento a garota começou a se arrepender do que acabara de fazer, então ela volta para o recém chegado e lhe estende o braço com a mercadoria roubada, porém antes que ele pegue ela recolhe os braços de novo. Kira acabara de entender o que estava acontecendo.

  • KIRA- Você...não acredito que fez isso!
  • KIRA- Você tem merda na cabeça seu b****!
  • KIRA- Que p***** é essa!?

(A garota da imagem é a Kira)

ZANDER- Ah, fala sério!

KIRA- Saca só Zander! Eu vou levar isso pra casa e você vai ficar na sua e eu na minha! Do jeito que eu disse mais cedo! Assim não vai haver guerra! Você me ouviu?

ZANDER- Ki-

KIRA- Espero que sim, porque eu falei em alto e bom som!!

Ela o encara ameaçadora antes de voltar para casa pisando com força. (A garota da imagem é a Kira)

ZANDER- Ah, fala sério!

KIRA- Saca só Zander! Eu vou levar isso pra casa e você vai ficar na sua e eu na minha! Do jeito que eu disse mais cedo! Assim não vai haver guerra! Você me ouviu?

ZANDER- Ki-

KIRA- Espero que sim, porque eu falei em alto e bom som!!

Ela o encara ameaçadora antes de voltar para casa pisando com força.

  • :b
  • :b
Continuo? Refazer

Continuo?

Compartilhar

Continuo? Refazer

Continuo?

Compartilhar

Calculando Resultado
Ver meu resultado
Visitar Anúncio

Publicidade

clock facebook twitter whatsapp redo search x home profile pencil logout quiz list test user star